Michael Bisping sugere que Darren Till retorne aos meio-médios após derrota para Derek Brunson | SUPER LUTAS

Michael Bisping sugere que Darren Till retorne aos meio-médios após derrota para Derek Brunson

O ex-campeão também sugeriu que o compatriota procure treinar em outro lugar para aprimorar o wrestling e o jiu-jitsu

D. Till perdeu quatro das últimas cinco lutas. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

Uma vez cotado como um dos lutadores mais promissores do Ultimate, Darren Till se encontra em péssima fase na organização. A derrota para Derek Brunson na luta principal do UFC Las Vegas 36, no último sábado (4), foi a quarta do britânico em suas últimas cinco aparições no octógono.

Veja Também

Ex-campeão dos médios (até 83,9 kg) do UFC e atualmente comentarista da organização, Michael Bisping falou sobre a situação do compatriota no Ultimate e traçou um paralelo com a própria trajetória.

“É mais uma derrota em seu cartel e está impedindo sua progressão para se tornar um campeão do mundo. Mas o que eu posso dizer para encorajá-lo é: ele tem apenas 28 anos. Eu tive muitos altos e baixos ao longo da minha carreira e precisei de ajustes”, afirmou Bisping.

Sobre os ajustes, Michael Bisping afirmou que Darren Till não precisa mudar de academia, mas sim procurar algum outro lugar que complemente as lacunas de seu jogo.

“Não estou sugerindo que ele deixe a Team Kaobon, mas talvez ir a outro lugar que tenha mais influência no wrestling e certamente no jiu-jitsu. Com todo o respeito, o jogo de solo podia ter sido um pouco melhor. Não pelas quedas, Derek Brunson é um ótimo wrestler e construiu a carreira inteira em cima disso. Mas achei que quando fosse derrubado, Till conseguiria se sair um pouco melhor”, opinou o ex-campeão.

Por fim, Bisping sugeriu que Till retornasse a sua divisão de origem: a dos meio-médios (até 77 kg), onde lutou até 2019, antes de se aventurar na categoria de cima.

“Acho que o que ele precisa é retornar aos meio-médios. Quando você compara, Derek Brunson é um cara muito maior que ele. Não estou falando de altura, mas de frame. Com o frame e com os músculos, vem muita força junto. Ainda mais quando você está enfrentando um cara que tem como objetivo primário te colocar no chão. Claro que a técnica entra em jogo, mas boa parte é força. Quando você entra nas posições de clinch, o que conta é a força e Derek foi mais forte que ele nessas situações também”, finalizou Bisping.

Podcast #30: Aquecimento para o UFC 266 com duas disputas de cinturão e migué de Romero no Bellator

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments