Feliz por protagonizar sua primeira luta principal, Mackenzie quer se consolidar como principal nome do jiu-jítsu no MMA

A lutadora brasileira não escondeu a empolgação por liderar o seu primeiro card do Ultimate na carreira e falou sobre a sua grande 'meta' pro futuro

M. Dern vem de quatro vitórias consecutivas no UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Protagonista do UFC Las Vegas 39 ao lado de Marina Rodriguez, Mackenzie Dern admitiu estar empolgada por participar da sua primeira luta principal na empresa. A lutadora brasileira contou os  detalhes dos bastidores que a deixaram animada e revelou planos de se firmar como a principal representante do jiu-jítsu nas artes marciais mistas. A declaração foi dada em entrevista ao ‘Combate’.

PUBLICIDADE:

LEIA TAMBÉM: Brasileira por direito e de coração, Mackenzie Dern faz sua primeira luta principal no UFC Las Vegas 39

Veja Também

“Estou muito feliz. Eu ainda não cheguei onde queria chegar, estou apenas no começo. Faz dois meses que eu sabia que faria a luta principal, então deu mais um prestígio, pois todo atleta sonha em um dia fazer isso. Eu estava assinando os cartazes do evento e vi o meu rosto, fiquei com dúvida onde iria assinar, pois não queria assinar na minha testa. Esses detalhes, essas coisas gostosas de conquistar seu espaço e ver que está tudo dando certo”, afirmou Mackenzie.

PUBLICIDADE:

Considerada um dos maiores nomes da história do jiu-jítsu, a lutadora brasileira afirmou que deseja se firmar como uma representante da arte suave no MMA.

“Eu queria chegar nessa luta mostrando tudo que eu estou representando. Voltando às raízes do UFC, nos tempos do Royce Gracie, pois acredito que sou a primeira mulher campeã mundial da IBJJF (Federação Internacional de Jiu-Jitsu) representando o jiu-jítsu no MMA. A gente já teve BJ Penn, Demian Maia, Ronaldo Jacaré e vários outros no masculino, mas no feminino sou uma das primeiras. O UFC 1 foi em 1993 e agora estamos em 2021 e ainda conseguimos ter essa representação, de mostrar a eficiência do jiu-jítsu. Lógico que mudou bastante, a maioria das atletas são mais ou menos em tudo, você vê que elas trabalham em tudo, mas essa luta pode mostrar a diferença do jiu-jítsu para o muay thai, não que uma seja melhor do que a outra, mas no Apex, por exemplo, que o octógono é menor, pode me favorecer um pouco”, finalizou Dern.

PUBLICIDADE:

Atual número quatro do ranking dos palhas (até 52,2kg), Mackenzie vem em grande fase na carreira e ostentando quatro vitórias consecutivas. A lutadora brasileira não sabe o que é derrota desde outubro de 2019. Na ocasião, Dern foi derrotada por Amanda Ribas na decisão unânime dos juízes. A atleta tupiniquim possui um histórico de 11 triunfos e apenas um revés no MMA profissional.

PUBLICIDADE:

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS