Com três derrotas seguidas, Raphael Assunção revela o que o atrapalhou em suas últimas lutas

Figura constante na elite do peso galo nos últimos anos, o brasileiro atribuiu seus últimos reveses ao 'aspecto mental'; o peso galo não vence desde julho de 2018

R. Assunção (foto) enfrenta R. Simon no UFC Vegas 45. Foto: Reprodução/Instagram @raphaassuncao

Em fase complicada na carreira, o brasileiro Raphael Assunção revelou ter descoberto a causa de suas recentes derrotas. Em entrevista ao ‘Combate’, o peso galo atribuiu os seus resultados negativos ao ‘aspecto mental’ e declarou estar pronto para o duelo diante de Ricky Simón, no UFC Las Vegas 45 desse sábado (18).

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Foi tipo uma depressão. Você acha que não tem, mas tem. Você acha que está bem, mas na verdade não está. Nas três últimas lutas, o problema foi o aspecto mental. Contra o Marlon (Moraes), em Fortaleza, tive um “breakdown” mental, não me encontrei. Era a luta principal. Isso acontece nesse alto nível profissional. Contra o Sandhagen, estava bem, fiquei um tempo alojado em diferentes treinamentos e senti algo físico. Ele era alto, foi difícil de encontrá-lo, é um cara duro. Contra o Cody Garbrandt foi mental. Eu estava bem, nunca deixei de bater o peso. O mental é que tinha decaído, talvez pelo longo tempo de carreira. Bate aquele cansaço e talvez eu tenha achado que não precisava mais aprender nada, que já conhecia o mundo. E ali na hora não foi assim”, afirmou Assunção.

Diante do embalado Ricky Simón, Raphael mostrou conhecimento sobre as qualidades do seu adversário e disse que o mais importante é sair vitorioso no UFC Vegas 45.

PUBLICIDADE:

“Ele é parecido com o estilo do Urijah Faber. É um cara rápido, mas tenho treinado além do que ele mostra, para as expectativas serem a meu favor. Não quero esperar que ele seja lento e na hora parecer um ‘bichinho elétrico’. É compacto, baixinho, tem o wrestling, trabalha bem as mãos. É bem completo. Tenho que usar a experiência. Fisicamente, estou bem. Eu quero impor meu jogo e vencer da maneira que for necessário. O importante é a vitória”, finalizou o peso galo.

Figura frequente no top-1o da divisão até 61,2kg nos últimos anos, Assunção vive uma nova realidade nos últimos anos. O lutador pernambucano foi derrotado em seus três últimos combates pela organização. Sua última vitória foi em julho de 2018, quando derrotou o norte-americano Rob Font na decisão unânime dos juízes. O lutador pernambucano possui um cartel de 27 triunfos e oito reveses no MMA profissional.

PUBLICIDADE:

Podcast #46: Aquecimento para o UFC 270 com duas disputas de cinturão + Amanda Nunes fora da ATT e Jake Paul rico