Francis Ngannou revela que abriu mão de pelo menos R$ 38 milhões para ficar livre do UFC

Após muitas discussões contratuais com o UFC, o campeão dos pesados afirmou que abriu mão do dinheiro para se ver livre

F. Ngannou em entrevista coletiva pós-evento. Foto: Reprodução/YouTube

No último sábado (22), Francis Ngannou fez a última luta de seu contrato com o Ultimate quando derrotou Ciryl Gane na luta principal do UFC 270 e unificou os cinturões pesos pesados (até 120,2 kg) da organização. Apesar de ter ganho o maior salário da noite, o camaronês poderia ter saído com o bolso muito mais cheio.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Durante participação no “The MMA Hour”, podcast do site norte-americano “MMA Fighting”, Ngannou revelou que recusou propostas milionárias do UFC para se ver livre da organização. De acordo com o camaronês, ele abriu mão de mais de US$ 7 milhões (aproximadamente R$ 38 milhões) por sua liberdade.

“Eu venho deixando muito dinheiro na mesa desde a luta com Stipe Miocic. Por agora eu já devo ter perdido pelo menos US$ 7 milhões (aproximadamente R$ 38 milhões) que deixei na mesa. Estou feliz com meus US$ 600 mil (aproximadamente R$ 3,2 milhões) porque lutei pelo que trabalho. Liberdade não funciona com dinheiro. Você desiste de um pelo outro, ou você quer liberdade, ou você quer dinheiro. Você tem que abrir mão de um para ganhar o outro”, explicou Ngannou.

PUBLICIDADE:

Os últimos meses de Francis Ngannou foram de intensas discussões contratuais com o UFC. Mais do que valorização financeira, o campeão dos pesados quer um contrato mais flexível, que o permita, por exemplo, realizar uma luta de boxe contra grandes nomes da nobre arte, como Tyson Fury.

“Não foi apenas uma luta. Eu não estava lutando apenas no octógono. Estava lutando por tudo que acredito. Era além da luta, era pelos meus princípios, por coisas que eu acredito. Por isso eu estava lutando. Mesmo quando eles tentaram chegar a um acordo com uma boa quantia de dinheiro, eu falei que naquela altura já não importava mais. Eu deixei tudo na mesa. Não ligo. Estou pegando meus US$ 600 mil, fazendo isso e ganhando tudo”, disse Ngannou.

PUBLICIDADE:

O contrato do UFC com seus campeões prevê extensão automática por três lutas ou um ano em caso de defesa do título. O camaronês, no entanto, já deixou claro que não se importa em ficar sem lutar até ano que vem para se ver livre da organização.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276