Nova estrela do ‘boxe sem luvas’, ex-UFC se diz ‘contrário’ à contratação de Ngannou: ‘Ele vai matar alguém’

Aposta para o futuro do Bare Knuckle FC, Chad Mendes se assusta com possibilidade de evento assinar com campeão do Ultimate

F. Ngannou (foto) é o atual campeão linear dos pesados do UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Contratado como nova estrela do Bare Knukle FC, Chad Mendes está assustado com a possibilidade de a empresa negociar com Francis Ngannou. Antigo destaque do UFC e, hoje, no ‘boxe sem luvas’, o lutador não escondeu o pensamento dos perigos que o campeão dos pesados do Ultimate poderia trazer aos eventuais adversários. Em entrevista ao ‘Full Mount’, o veterano esclareceu sua posição.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Vou te falar a verdade, eu não gostaria de estar nem perto desse cara no ‘boxe sem luvas’. Você consegue imaginar esse cara te acertando na cara com as ‘mãos limpas’? Ele vai matar alguém”, afirmou Chad.

Ex-adversário de José Aldo pelo cinturão dos penas (até 65,7kg.) do Ultimate, Mendes já fala com certa propriedade sobre ser testado na modalidade. Em 19 de fevereiro, o veterano do MMA fez sua estreia na organização e brutalizou Joshuah Alvarez com um nocaute no quarto round.

PUBLICIDADE:

“Fora os punhos serem afiados, e isso já é brutal, na minha opinião, (o Bare Knuckle) é mais fácil do que lutar MMA. Obviamente, eu não estive em uma guerra sem luvas, então, não sei exatamente qual é a sensação. Mas, são apenas dois minutos por round, só boxe. Você não precisa se preocupar com chutes, joelhos, cotovelos, grappling, e o dinheiro é muito bom”, encerrou Chad.

Atual campeão dos pesados do UFC, Ngannou vive momentos de incerteza sobre seu futuro. Em atrito público com a organização presidida por Dana White, o atleta fez a última luta de seu contrato em janeiro, quando bateu Ciryl Gane e unificou o título da divisão até 120,2kg.

PUBLICIDADE:

Com o cinturão e sem contrato, o combatente pode estar ‘livre no mercado’ a partir de 31 de dezembro. O ‘gigante’, que passará por uma cirurgia no joelho, cobra melhores pagamentos e ‘mais liberdade’ da organização.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276