AO VIVO

Assista à coletiva pós-UFC 276 com Adesanya, Poatan e mais

Com tribunal cheio, Cain Velasquez tem audiência de apelação adiada e segue preso nos Estados Unidos

O pedido do adiamento foi feito por seu advogado, Mark Geragos; ele fez um símbolo de coração para quem o apoiava durante a audiência

C. Velasquez foi preso por tentativa de homicídio (Foto: Polícia de San Jose)

Ex-campeão peso pesado (até 120,2kg.) do UFC, Cain Velasquez teve sua audiência de apelação adiada para 6 de maio após pedido de seu advogado, Mark Geragos, na última terça-feira (12). O lutador está preso desde fevereiro de 2022, sob acusação de tentativa de homicídio.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Velaquez teve um ‘momento’ com o tribunal, que estava lotado. A lenda dos pesados se virou para os presentes e fez um símbolo de coração com as mãos para quem o apoiava durante a audiência. Segundo informações do ‘MMA Fighting’, o ex-campeão do UFC, Daniel Cormier, e o treinador da American Kickboxing Academy (AKA), Javier Mendez, também estariam no local.

Antes da audiência, inclusive, Cain se pronunciou pela primeira vez desde sua prisão. Em suas redes sociais, ele quebrou o silêncio, tratou de agradecer aos fãs por apoio e fez apelo às ‘verdadeiras vítimas’ do caso para que falem publicamente sobre o ocorrido.

PUBLICIDADE:

O ex-campeão foi preso em 28 de fevereiro de 2022, por tentativa de homicídio. A lenda dos pesados atirou contra um homem, que teria molestado um membro, que seria menor de idade, de sua família. Cain disparou no veículo e acertou o padrasto do acusado no braço.

Posteriormente, o norte-americano foi acusado de tentativa de homicídios e uma série de outras acusações, que podem chegar de 20 anos à prisão perpétua. Ele ainda teve uma audiência de fiança negada após a juíza do caso, Shelyna Brown, julgar as ações do lutador como ‘imprudentes’ e que, caso ele fosse solto, poderia colocar outras vidas em risco.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276