Suposta vítima diz que Cain Velasquez ‘não tem respeito pela vida’ e ‘poderia ter baleado crianças’

Ex-campeão peso pesado do UFC está preso desde o final de fevereiro acusado de tentativa de homicídio

C. Velasquez (foto) recebeu dez acusações após tentativa de homicídio (Foto: Reprodução Facebook Cain Velasquez)

A suposta vítima de Cain Velasquez no tiroteio que resultou na prisão do ex-campeão peso pesado (até 120,2 kg) do UFC se manifestou pela primeira vez desde o incidente ocorrido no final de fevereiro.

PUBLICIDADE:

Paul Bender, de 64 anos, afirmou na última segunda-feira (16) que, após ser supostamente baleado por Cain Velasquez, perdeu o movimento de três dedos da mão e passou a temer pela própria vida e pela vida de seus familiares. Bender dirigia o carro supostamente perseguido pelo ex-campeão do UFC, que tinha como alvo Harry Goularte, acusado de molestar o filho de Velasquez, de quatro anos de idade. Além de Bender, Goularte e sua mãe também estavam no carro no momento do tiroteio.

Os comentários de Paul Bender foram feitos através de videoconferência durante uma audiência que terminou com a juíza Shelyna Brown negando mais um pedido de fiança a Cain Velasquez.

PUBLICIDADE:

“Bom dia, Vossa Excelência. Meu nome é Paul Bender. Sou a pessoa que estava dirigindo o carro e a pessoa baleada por Cain Velasquez no dia 28 de fevereiro de 2022. Estávamos simplesmente seguindo uma ordem do tribunal para pegar um aparelho de monitoramento por GPS para Harry quando Cain Velasquez começou a nos seguir. Ele atirou em nós e nos perseguiu em uma velocidade acima de 100 milhas por hora. Quando chegamos a uma parada, perto de uma escola, Cain Velasquez atirou em nós novamente, lesionando meu nervo e minha artéria braquial. Perdi o uso de três dedos e não posso mais trabalhar pois não consegui passar no exame médico sem o uso da minha mão direita. Não sei se a perda é permanente. Cain Velasquez não tem respeito pela vida humana. Ele poderia facilmente ter baleado a família no carro ao lado do nosso, pedestres inocentes ou até mesmo pequenas crianças. Cain Velasquez não se importa com quem o vê fazendo isso. Ele não liga para a justiça. Se ele tiver a oportunidade, creio que ele tentará finalizar o que começou. Temo pela minha vida, assim como pela vida da minha família. Não existe fiança ou monitoramento por GPS que possa parar Cain Velasquez. Respeitosamente, Vossa Excelência, peço para que mantenha minha família segura e nossa comunidade a salvo de Cain Velasquez e negue seu pedido de fiança”, declarou Bender.

Esta foi a segunda vez em que Shelyna Brown negou um pedido de fiança a Cain Velasquez. O ex-campeão dos pesados encara acusações por tentativa de homicídio, atirar em veículo motorizado, agressão com arma de fogo, agressão com arma letal, descarregar propositalmente uma arma de fogo a partir de um veículo e porte de arma de fogo carregada com a intenção de cometer um crime. Caso seja declarado culpado pela tentativa de homicídio, Velasquez pode pegar de 20 anos até prisão perpétua.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276