Presidente do Bellator diz que não ter interesse em Toquinho: ‘Segurança é prioridade’

Bjorn Rebney diz lutas diante de Rousimar Toquinho são um 'risco desnecessário para seus atletas'

Bjorn Rebney fechou as portas do Bellator pra Jon Fitch no momento. Foto: Bellator (Divulgação)

Bjorn Rebney fechou as portas do Bellator pra R. Toquinho. Foto: Bellator (Divulgação)

Rousimar Toquinho parece ter entrado em um ‘inferno astral’. Depois de ser demitido do UFC por segurar uma chave de calcanhar em Mike Pierce, o atleta mineiro teve as portas fechadas na segunda maior organização de MMA do mundo. Bjorn Rebney, presidente do Bellator, revelou que não tem nenhum interesse em contar com o brasileiro em seu elenco de lutadores.

“Riscos já existem para os lutadores corajosos e de classe mundial que entram na jaula do Bellator, sem acrescentarmos ainda mais riscos desnecessários à luta. A segurança dos lutadores é prioridade para mim e minha equipe”, afirmou Rebney ao site norte-americano TMZ.

Entenda o caso

Rousimar Toquinho encarou Mike Pierce no UFC Fight Night 29, evento realizado na última quarta-feira (09), em Barueri, interior de São Paulo. No duelo, que marcou a estreia do brasileiro na divisão de meio-médios, ele precisou de apenas 31 segundos para encaixar uma justa chave de calcanhar e forçar a desistência do norte-americano.

Segundo Dana White, presidente do UFC, Toquinho demorou demais para soltar a chave – cerca de 1,08s – e este tipo de atitude não é aceita dentro do octógono, dispensando o mineiro.

Apesar disso, Rousimar divulgou um vídeo em seu canal do Youtube no qual garante não ter agido com maldade, que os tapinhas de desistência foram dadas no juiz. Mesmo assim ele desculpava com o evento e pedia uma nova chance no octógono.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments