Irmão mais novo de Anthony Pettis minimiza pressão em sua estreia no UFC

Sergio Pettis, que lutará no evento do próximo sábado, entende comparações com o campeão dos leves, mas diz: “Somos lutadores diferentes”

S. Pettis (foto) possui um cartel invicto com nove vitórias . Foto: Twitter/Reprodução

S. Pettis (foto) possui um cartel invicto com nove vitórias . Foto: Twitter/Reprodução

Sergio Pettis, que fará sua estreia no UFC no próximo sábado, não acredita que as comparações com seu irmão mais velho, Anthony, campeão dos leves, irão atrapalhá-lo. Escalado para enfrentar Will Campuzano no UFC 167, que será realizado em Las Vegas (Estados Unidos), o peso-galo de 20 anos de idade afirmou que tem um estilo tão agressivo quanto o de seu irmão, mas que ambos são lutadores de características diferentes.

“As pessoas esperam que eu faça todas as maluquices que Anthony faz. Isso acrescenta um pouco a pressão em mim, mas nós somos lutadores diferentes”, afirmou Sergio, que está invicto após nove lutas no MMA. “No geral, somos pessoas diferentes. Se eu não corresponder às expectativas, ainda assim serei uma boa promessa no meu peso. Irei entreter ao público e buscarei finalizar a luta”, completou.

Originalmente, Pettis estava escalado para enfrentar Vaughan Lee no próximo sábado. No entanto, o inglês, contundido, deixou o card na semana passada. Mesmo admitindo ter ficado decepcionado com a troca, Pettis não acredita que isso lhe causará problemas.

“Eu fiquei chateado. A apenas 11 dias para a minha luta, eu recebo a ligação dizendo que ele se machucou. Lesões acontecem o tempo inteiro nesse esporte, e isso é uma droga”, lamentou o americano. “Eu tinha um plano para lutar, e meu oponente se machucou. Agora, tenho outro oponente, então tenho que reagir ao que essa pessoa faz, sendo confiante em mim mesmo e no meu treinamento. Sou um dos caras que mais trabalha duro, então acho que serei um dos melhores do mundo.”

Apesar da chateação, Sergio ficou contente em permanecer no evento que marcará um momento histórico para o UFC, já que se trata da comemoração de 20 anos da primeira edição da atração. “Pelo menos em arrumaram outro oponente logo de cara, e isso me fez sentir muito melhor. Eu não queria ser retirado deste card, já que é um dos maiores do ano. É muito empolgante lutar no mesmo evento de Georges St. Pierre, que é um dos caras que eu mais admiro.”

A luta principal do UFC 167 será a disputa pelo cinturão dos meio-médios, entre St. Pierre e Johny Hendricks.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments