Paddy Pimblett faz importante desabafo sobre saúde mental masculina em coletiva do UFC Londres

Sensação britânica do Ultimate revelou que pretende dar início a um projeto social relacionado ao assunto

P. Pimblett em coletiva de imprensa após o UFC Londres (Foto: Reprodução/Youtube)

Logo após derrotar Jordan Leavitt no UFC Londres, no último sábado (23), Paddy Pimblett se emocionou ao revelar que um grande amigo cometeu suicídio horas antes da pesagem oficial do evento, na última sexta-feira (22). Ainda sobre o octógono, a sensação britânica do peso leve (até 70,3 kg) discursou sobre a necessidade de homens falarem sobre seus problemas e cuidarem da saúde mental.

PUBLICIDADE:

Na coletiva de imprensa realizada logo após o evento, Paddy Pimblett voltou a falar sobre o tão importante assunto.

“Como eu digo, mulheres conversam umas com as outras o tempo inteiro. Não há estigma. Elas sentam em qualquer lugar, tomam um chá e conversam. Homens não fazem isso. Homens acham que não podem falar certas coisas, porque outros homens vão achá-los fracos. Como eu disse, eu preferia que meu amigo chegasse e falasse comigo, chorasse no meu ombro do que eu chorar carregando um caixão uma semana depois. Decisões tomadas em frações de segundos arruínam vidas e foi isso que aconteceu nesta semana”, lamentou Pimblett.

PUBLICIDADE:

Paddy Pimblett apontou também a necessidade de pessoas influentes se posicionarem a respeito do assunto e ajudarem ao próximo. O lutador revelou que pretende dar início a um projeto social relacionado à saúde mental masculina e criticou o governo britânico por não destinar nenhum fundo a esta questão.

“Como eu digo, pessoas na mesma posição que a minha, pessoas que tem os holofotes, que tem seguidores, deveriam ajudar aos outros. Todos que estão em posições como as minhas deveriam tentar ajudar alguém. Seja um desconhecido nas ruas ou seu amigo. Você deve ajudar e tentar retribuir. Sem todos esses fãs, sem as pessoas que nos adoram, não seríamos pagos. Eu só gosto de retribuir. Eu estou começando um projeto para crianças, mas agora também estou pensando em começar um projeto relacionado à saúde mental masculina. O Reino Unido não tem nenhum fundo destinado a isso. Não existe nenhum fundo para saúde mental masculina. É a maior causa de mortes entre homens de 21 a 45 anos e ninguém fala sobre isso. Ninguém sequer menciona isso. Homens se matam e ninguém se importa. Precisamos mudar isso”, finalizou.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC