Wand não se arrepende de briga com Sonnen: ‘Mostrei que com homem não se brinca’

Brasileiro também criticou edição do TUF por sua imagem no programa e minimizou a repercussão da confusão com o rival

Wand (dir.) e Sonnen (esq.) se enfrentam no dia 5 de julho. Foto: Twitter/Reprodução

Wand (dir.) e Sonnen (esq.) se enfrentam no dia 5 de julho. Foto: Twitter/Reprodução

Esta cobertura é patrocinada por: Esta cobertura é patrocinada por EVERLAST

Se pudesse voltar ao passado, Wanderlei Silva não evitaria a polêmica confusão com Chael Sonnen no The Ultimate Fighter Brasil 3, que acabou em uma briga exibida em rede nacional de televisão. O “Cachorro Louco” garante que não se arrepende do ocorrido, embora reconheça que a ação foi equivocada. Wand justificou o acontecido, afirmando que sua postura se fez necessária diante do comportamento de Sonnen e que diante disso ele teve que se impor como homem.

“Acho que a gente tem que se arrepender de algo que não fez. Eu sou um atleta profissional, o cara também é, nós dois somos homens, é uma coisa que pode acontecer com qualquer um nessa situação. É óbvio que eu não sou a favor de nenhum tipo de violência e, aliás, costumo dizer que a arte marcial funciona assim: nós somos praticantes de arte marcial, usamos a nossa arte estritamente para nos defender. E qual é a regra da arte marcial? Eu estava falando para ele o que eu achava dele, mas ainda não tinha encostado nele. A partir do momento em que o cara encosta em você, ele quebrou a regra, entendeu? Ele quebrou a regra, me empurrou e aí eu já me senti desrespeitado. Então eu pensei: ‘Beleza, vamos ver qual é’. E aí foi rapidinho ali, foi um lance só para dar uma esquentada, ninguém se machucou seriamente. Entre mortos e feridos todos sobreviveram. Foi uma ação errada, mas uma postura certa. Uma postura de homem que está se impondo e mostrando que com homem não se brinca”, disparou o brasileiro, em entrevista ao site do canal “Combate”.

Wanderlei também responsabilizou a edição do programa pela imagem de “vilão” que possa ter assumido ao longo do reality show. “De repente a noção de marketing do cara é melhor do que a minha. Ele conseguiu até doar uma bola de futebol de um jogo que nós disputamos dentro da casa e isso é coisa para figurino, para gringo ver. É claro que é uma ação bem vinda, pois tudo o que for para ajudar a gente tem que ser bem vindo. Mas são ações paliativas, que não são tão efetivas. O show não mostrou muita coisa, foi meio que editado e muita coisa acabou sendo distorcida. Mas tudo bem, foi o preço que a gente pagou para aparecer no programa. Não é a gente que manda na edição e, muitas vezes, o público não sabe que está sendo manipulado. Essa manipulação pode ser discreta, de coisas colocadas no meio da programação. Você põe um sorriso aqui, um palavrão ali, depende da colocação. Agora a gente tem que tocar a bola para a frente e aproveitar os números da audiência que foram muito bons. Conseguimos divulgar mais o MMA no Brasil, e isso é um ponto muito positivo”, avaliou.

Além disso, o brasileiro não se mostrou preocupado com a repercussão negativa do episódio da briga com Sonnen e revelou que sua aprovação junto ao público segue positiva. “Como dizem, é muito mais fácil você ser pedra do que vidraça, né? Então foi bom eu sentir a reação do público dessa maneira. A gente tem sempre que ver o lado bom da coisa. Eu acho que a galera que é das nossas viu os extremos por fora da ação. Você não pode generalizar com relação ao todo por conta de algumas mensagens de Facebook e Twitter. Pelo tipo da ação, muita gente vê um comentário e já vai no embalo e começa a criticar porque quer ser aprovado. Então a pessoa fala uma coisa e, de repente, pode mudar de opinião. De repente ela até discute se estava certa ou não. Acho que o povo que está demonstrando apoio a mim é muito maior do que esse pessoal que ficou contra. Muita gente não tinha visto ainda o que o Sonnen tinha falado. A opinião vai e vem né? E eu estou sentindo que o povo está comigo”, concluiu.

A celeuma entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen chega ao fim no dia 5 de julho, quando a dupla finalmente se encontra dentro do octógono. O duelo dos técnicos do TUF Brasil 3 acontece no UFC 175, que acontece no Mandalay Bay, em Las Vegas. Na mesma noite, o brasileiro Lyoto Machida desafia o campeão Chris Weidman pelo título dos pesos médios. Para Wanderlei, a data é o limite para o fim da “novela” entre ele e Sonnen. “O lance entre mim e o Sonnen vai se resolver dia 5 de julho. Essa rivalidade está parecendo uma novela mexicana, mas no dia 5 de julho nós vamos, talvez, colocar um ponto final nisso”, sentenciou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments