Ex-lutador denuncia conivência de contratos do PRIDE com uso de esteróides

Japonês Enson Inoue publicou um trecho dos acordos da extinta organização que excluíam anabolizantes dos testes antidoping

PRIDE FC foi promovido entre 1997 e 2007. Foto: Divulgação/DSE

PRIDE FC existiu entre 1997 e 2007. Foto: Divulgação/DSE

Uma denúncia feita pelo ex-lutador Enson Inoue promete agitar os bastidores do MMA, principalmente no que diz respeito às saudosas memórias do extinto PRIDE – evento situado no Japão e promovido entre 1997 e 2007, quando foi comprado pelo UFC. Em seu perfil oficial no Facebook, o japonês divulgou um trecho de seu contrato com a organização em que fica evidenciado que esteroides anabolizantes e outras substâncias para melhora de performance não seriam testadas nos exames antidoping aplicados, que coibiriam somente o uso de drogas recreativas.

“Uso ilegal de narcóticos: O lutador concorda em ser testado, imediatamente após as lutas de cada evento, para confirmar estar livre do uso de maconha, cocaína, heroína e barbitúricos. Caso o teste dê positivo, então, o lutador deverá abrir mão de todo o pagamento estipulado por este contrato. Estimulantes que melhorem a performance física com base em esteróides anabolizantes estão especificamente excluídos do escopo do teste”, diz o trecho reproduzido por Inoue na rede social.

Questionado sobre a veracidade do conteúdo divulgado, Enson Inoue divulgou um vídeo em que aparece comentando a denúncia e exibindo as cópias do contrato assinado em 2000 tanto em japonês quanto em inglês. “Alguém declarou que o que eu postei sobre os contratos não parecia uma prova real, mas eles são”, escreveu o ex-lutador juntamente com a publicação”, escreveu juntamente com a publicação.

Confira abaixo o vídeo divulgado por Enson Inoue e a imagem do contrato publicada:

Trecho do contrato divulgado por Inoue nas redes sociais. Foto: Reprodução/Facebook

Trecho do contrato divulgado por Inoue nas redes sociais. Foto: Reprodução/Facebook

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments