GSP condiciona retorno ao UFC a aumento no rigor dos testes antidoping

Ex-campeão dos meio-médios diz que exames deveriam seguir o regulamento mais avançado possível na atualidade

St. Pierre (foto) é ex-campeão do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

St. Pierre (foto) é ex-campeão do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Crítico ferrenho do doping no MMA, o ex-campeão dos meio-médios do UFC Georges St. Pierre impôs uma condição para voltar a competir dentro do octógono. O canadense quer que o Ultimate adote um regulamento antidoping que seja mais preciso do que é utilizado atualmente.

PUBLICIDADE:

St. Pierre abandonou o cinturão do UFC no final do ano passado e se retirou temporariamente das lutas. Ele deixou em aberto um possível retorno no futuro, mas vem criticando duramente nos últimos meses a fiscalização atual no que diz respeito a substâncias proibidas.

“Eu nunca lutarei MMA novamente sem que meu oponente e eu tenhamos passado pelos testes antidoping mais avançados, feitos por organizações independentes e com credibilidade como a VADA ou USADA, sob os padrões mais rigorosos da Agência Mundial Antidoping [WADA]”, disse o canadense, em entrevista ao site norte-americano “Bloody Elbow”.

PUBLICIDADE:

No entanto, St. Pierre evitou criticar Vitor Belfort, nome envolvido em recentes polêmicas no assunto que enfrentará Chris Weidman pelo cinturão dos médios do UFC em dezembro. “Eu gosto de Vitor como pessoa e companheiro de treinos. Todos sabem o que penso sobre substâncias dopantes, mas não vou comentar sobre quem merece disputar o cinturão ou não. Se ele se credenciar para lutar pelo título sob determinadas condições, então fico feliz por ele”, afirmou.

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?

Comentários

Deixe um comentário