GSP condiciona retorno ao UFC a aumento no rigor dos testes antidoping

Ex-campeão dos meio-médios diz que exames deveriam seguir o regulamento mais avançado possível na atualidade

St. Pierre (foto) é ex-campeão do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

St. Pierre (foto) é ex-campeão do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Crítico ferrenho do doping no MMA, o ex-campeão dos meio-médios do UFC Georges St. Pierre impôs uma condição para voltar a competir dentro do octógono. O canadense quer que o Ultimate adote um regulamento antidoping que seja mais preciso do que é utilizado atualmente.

St. Pierre abandonou o cinturão do UFC no final do ano passado e se retirou temporariamente das lutas. Ele deixou em aberto um possível retorno no futuro, mas vem criticando duramente nos últimos meses a fiscalização atual no que diz respeito a substâncias proibidas.

“Eu nunca lutarei MMA novamente sem que meu oponente e eu tenhamos passado pelos testes antidoping mais avançados, feitos por organizações independentes e com credibilidade como a VADA ou USADA, sob os padrões mais rigorosos da Agência Mundial Antidoping [WADA]”, disse o canadense, em entrevista ao site norte-americano “Bloody Elbow”.

No entanto, St. Pierre evitou criticar Vitor Belfort, nome envolvido em recentes polêmicas no assunto que enfrentará Chris Weidman pelo cinturão dos médios do UFC em dezembro. “Eu gosto de Vitor como pessoa e companheiro de treinos. Todos sabem o que penso sobre substâncias dopantes, mas não vou comentar sobre quem merece disputar o cinturão ou não. Se ele se credenciar para lutar pelo título sob determinadas condições, então fico feliz por ele”, afirmou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments