Belfort provoca Weidman e propõe criação de cinturão interino: ‘Quero lutar’

Brasileiro considera que a lesão do campeão prejudica a todos os envolvidos, mas se diz ainda mais motivado para o combate

Luta entre V. Belfort (foto) e Weidman foi adiada para 2015. Foto: Josh Hedges/UFC

Luta entre V. Belfort (foto) e Weidman foi adiada para 2015. Foto: Josh Hedges/UFC

Vitor Belfort não gostou nada da notícia de que terá que esperar mais alguns meses para desafiar Chris Weidman pelo cinturão dos médios. Após a lesão que tirou Weidman do UFC 181 e forçou o adiamento do desafio para 2015, Belfort comentou a situação e chegou a sugerir que o Ultimate crie um título interino, devido à reincidência do campeão em contusões às vésperas de suas lutas.

“No início não acreditei (que a luta seria adiada), afinal essa está sendo a segunda luta dele de defesa de cinturão seguida que teve de ser adiada por causa de lesão. Acho que para todo detentor de cinturão que se lesionar mais de uma vez, o UFC já deveria criar o cinturão interino. Com isso, os fãs, os lutadores e o próprio UFC não sairiam prejudicados, somente o atleta lesionado.  Quero lutar. Isso tudo só me dá mais gás e determinação para conquistar meu terceiro título mundial na terceira categoria diferente no UFC. A cada dia me sinto mais forte e motivado para mais uma conquista”, disse o “Fenômeno”, em entrevista ao site do canal “Combate”.

Questionado sobre quais conselhos daria a Weidman, já que viveu uma situação semelhante antes da luta contra Wanderlei Silva em 2012, tendo fraturado a mão e perdido o duelo dos técnicos do TUF Brasil 1, Vitor novamente aproveitou para alfinetar o campeão. “Lesionar-se faz parte de todo esporte, porque treinamos em alta performance. Mas se lesionar duas vezes seguidas com tão pouco tempo de carreira? Estão de brincadeira, né? Para mim, ele queria passar o Natal com o cinturão, e só dessa maneira conseguiria fazer isso”, disparou.

Originalmente, Vitor Belfort e Chris Weidman se enfrentariam no UFC 173, em maio. Porém, o brasileiro acabou retirado do combate quando o Tratamento de Reposição de Testosterona (TRT), ao qual se submetia, foi proibido pela Comissão Atlética de Nevada. Após a vitória de Weidman sobre Lyoto Machida em julho, Vitor foi novamente confirmado como desafiante e a luta foi agendada para o UFC 181, em dezembro. Porém, com a fratura na mão do campeão, o combate acabou adiado para 2015, possivelmente no UFC 184, em fevereiro.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments