Equipe de José Aldo muda corte de peso após susto com Renan Barão

Para o UFC 179, Nova União evita utilizar banheira com álcool; Dedé Pederneiras insiste que episódio de agosto foi ‘fatalidade’

Pederneiras (de vermelho) explica corte de peso de Aldo (segundo da esquerda para a direit) para o UFC 179. Foto: Divulgação/UFC

Pederneiras (de vermelho) explica corte de peso de Aldo (segundo da esquerda para a direita) para o UFC 179. Foto: Divulgação/UFC

Nesta sexta-feira (24), véspera do UFC 179, todas as atenções do mundo do MMA estão voltadas à balança localizada no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, onde será realizada a pesagem oficial do evento. Campeão dos penas, José Aldo, assim como seu adversário, Chad Mendes, terá de passar pelo teste do peso sem extrapolar o limite da categoria, que é de 65,7 kg.

Devido aos recentes acontecimentos envolvendo a equipe de Aldo, a Nova União, o evento do dia está cercado de expectativas. Em agosto, outro lutador do time, Renan Barão, protagonizou um episódio que ficará marcado na história: na véspera do UFC 177, quando disputaria o cinturão dos galos, o lutador passou mal durante o corte de peso e foi levado ao hospital, ficando de fora do combate no dia seguinte.

O líder da Nova União, Dedé Pederneiras, garantiu que o trabalho de corte de peso feito com Aldo para o UFC 179 é diferente em relação ao visto com Barão há dois meses. “Não fazemos a banheira com álcool. A gente faz uma banheira normal, de água quente com creme ou sal grosso somente. No caso do Barão, estávamos usando às vezes com álcool, outras não. Como tinha esse tipo de álcool em Sacramento [EUA, local do UFC 177], que tem uma destilação muito grande, acabamos usando. Aqui no Brasil a gente nem tem esse álcool. A sauna já deixamos de fazer a muitos anos. Hoje 99% dos nossos atletas só fazem banheira. Dessa forma o atleta fica menos desgastado”, explicou Pederneiras.

VÍDEO: Assista à pesagem para o UFC 179 a partir das 16h

O treinador acredita que o episódio envolvendo Barão foi um acidente de percurso, já que considera que não há problemas com o método utilizado pela Nova União para o corte de peso. “A gente acredita que tenha sido uma fatalidade. Na academia já treinamos atletas para lutarem 870 vezes e foi a primeira vez que aconteceu isso conosco. Por isso acreditamos que foi uma fatalidade. O Aldo já fez 25 lutas, sempre fizemos do mesmo jeito e nunca deu problema. O Barão tinha lutado 30 vezes e nunca tinha dado problema. Assim como todos os outros nossos atletas nunca tiveram nenhum problema”, ponderou Pederneiras.

Assim, o técnico prevê que Aldo não passará por dificuldades para bater o peso nesta sexta-feira. “Ele é um atleta que luta em torno de 73 kg no máximo. Ou seja, seis, sete quilos a mais. É assim que gosta de lutar e se sente bem. Ele reclama muito de fazer a perda de peso. Mas por que não gosta, já que não tem dificuldade nenhuma para perder. A preparação começou uma semana antes. Dia após dia, ele tem que bater uma quantidade de perda de peso para estar certinho na hora da pesagem”, disse.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments