Cigano analisa vitória de Werdum: ‘Se fosse contra o Velasquez, seria difícil ter vencido’

Ex-campeão deixou porta aberta para duelo contra o compatriota e apontou Cain como favorito para unificação dos cinturões

J.dos Santos (foto) volta ao octógono no dia 13/12. Foto: Josh Hedges/UFC

J.dos Santos (foto) volta ao octógono no dia 13/12. Foto: Josh Hedges/UFC

Se existe um atleta na categoria de pesos pesados que tem propriedade para analisar a unificação dos cinturões entre Fabrício Werdum e Cain Velasquez, ele é Junior Cigano. Com uma trilogia contra o norte-americano e uma vitória sobre o brasileiro em seu currículo, o ex-campeão tem conhecimento de causa quando o assunto é a dupla que detém os títulos linear e interino da divisão até 120 kg. Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, Cigano comentou o duelo entre Werdum e Velasquez e falou sobre as chances do brasileiro, que segundo ele passam diretamente por uma apresentação melhor do que no triunfo sobre Mark Hunt no último sábado (15).

“Eu acho que se essa luta (com o Mark Hunt, no UFC 180) fosse contra o Cain Velasquez seria muito difícil o Werdum, com aquela performance, ter surpreendido e vencido”, ponderou o ex-campeão. “O Werdum, na luta que ele fez contra o Travis Browne, eu achei que ele foi muito bem. O Browne é um grande lutador, o Werdum foi muito duro, mostrou o muay thai dele e que melhorou muito na parte em pé. Ele realmente deu um show, tanto que conseguiu lutar pelo cinturão em seguida. Agora, nessa luta que ele fez agora contra o Mark Hunt, ele não foi tão impressionante. Na minha opinião, na verdade, ele estava perdendo a luta tanto no primeiro round quanto no início do segundo, quando conseguiu conectar aquela joelhada muito boa. Isso quer dizer que houve uma estratégia, um planejamento, e ele falou que pensou neste momento. Então, isso é mérito dele. A gente tem que dizer também que o Mark Hunt não é um cara para se menosprezar. Ele é muito perigoso. Mas a performance dele deixou a desejar no início da luta, como eu disse, fazendo até com que ele estivesse perdendo. Então, o Velasquez acaba sendo o grande favorito para esse duelo contra o Werdum, mas luta é luta. A gente sabe que tudo pode acontecer e com certeza o Werdum tem habilidades suficientes para surpreender e levar essa luta”.

Cigano também opinou sobre qual seria a melhor estratégia para Werdum no duelo e explicou por que considera Velasquez favorito não só para este duelo, mas para qualquer desafio na divisão de pesados. “Acho que é um momento importante que o Werdum está vivendo e eu acho que ele tem chances sim, principalmente se ele for inteligente e, como ele é o melhor atleta de jiu-jitsu da categoria, usar o jiu-jitsu dele, que é sua arma mais forte. Então, eu acho que ele tem que explorar bastante isso, inclusive contra o Velasquez. Agora, qualquer atleta da categoria hoje que for lutar contra o Velasquez, o Velasquez vai ser favorito. Não só por ele ser campeão, mas acho que principalmente pelo condicionamento físico. O cara é um pouco fora do normal. Ele não é um peso pesado normal porque ele não cansa. Eu acho que essa é sua característica mais forte: ter um condicionamento físico invejável, de lutar cinco rounds e sair muito bem depois da luta. Isso é uma coisa muito atípica nos pesos pesados e coloca ele num lugar privilegiado”, comentou.

Revanche contra Werdum não está descartada

Na sequência do bate-papo com o SUPER LUTAS, Junior Cigano foi questionado sobre as chances de enfrentar Fabrício Werdum, no caso de Cain Velasquez voltar a apresentar problemas físicas e não estar apto a defender seu título. Com relação a essa possibilidade, Cigano, que enfrenta Stipe Miocic no próximo dia 13 de dezembro, disse acreditar que um eventual substituto sairia deste duelo e não fechou as portas para uma hipotética revanche contra Werdum, a quem já superou em 2008 na sua estreia no Ultimate.

“Eu não escolho adversários e isso é muito verdade. Eu quero sempre lutar contra os melhores, independentemente de quem for. Mas, com certeza, me interessa lutar seja com quem for, inclusive com o Werdum, se for essa a missão que o UFC me passar. Então, eu acho que agora meu foco é o Miocic, é só nisso que eu estou pensando. E o vencedor dessa luta, caso o Velasquez não volte e até mesmo ele retornando, pode ser o próximo desafiante ao cinturão”, disse o peso pesado.

Aos 30 anos, Junior Cigano tem um cartel profissional de 16 vitórias e três derrotas. Ex-campeão dos pesos pesados, Cigano vem de um longo tempo afastado do octógono, desde o desfecho da trilogia contra Cain Velasquez em outubro do ano passado, e volta aos ringues no próximo dia 13 de dezembro, quando enfrenta o norte-americano de ascendência croata Stipe Miocic na luta principal do UFC on FOX 13, em Phoenix (EUA).

A entrevista completa de Junior Cigano ao SUPER LUTAS você confere na comemoração do sétimo aniversário do site, neste fim de semana.

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments