Focado nas Olimpíadas, Anderson Silva descarta aposentadoria do MMA: ‘Luto mais uns cinco anos’

Ex-campeão dos médios garante que irá cumprir atual contrato do UFC e afirma que irá participar das seletivas para os Jogos de 2016

A. Silva (foto) teria recebido mais de R$ 16 milhões, entre salário e participação nas vendas de PPV. Foto: Josh Hedges/UFC

A. Silva (foto) garante que irá cumprir até o fim seu contrato com o UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Atualmente, Anderson Silva está com seu foco voltado à possibilidade de disputar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, na competição de taekwondo. No entanto, o lutador deixou claro que isso não significa que ele irá deixar de competir novamente no MMA, garantindo que irá cumprir seu contrato atual com o UFC.

Veja Também

Anderson Silva emociona lutadores ao deixar o TUF e time Shogun vence a primeira
Com o sonho de Anderson Silva, saiba quem do MMA já disputou as Olimpíadas
Atleta da seleção de taekwondo critica Anderson Silva: ‘Motivo de piada’

No momento, “Spider”, campeão da organização entre 2006 e 2013, está com o futuro indefinido devido às polêmicas de doping nas quais se envolveu. Mesmo assim, o atleta de 40 anos de idade afirmou que irá lutar no MMA por mais alguns anos. “Eu volto, eu volto. Não vou parar de lutar. Mais cinco anos ainda. Tenho mais oito, nove lutas no contrato, e isso daria uns cinco ou seis anos. Até lá, ainda tenho gás para estar lutando”, disse Anderson, em entrevista ao canal “SporTV”.

O brasileiro afirmou que se reunirá em breve com a diretoria da Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) para viabilizar seus planos de participar dos Jogos Olímpicos. “Eu estou empolgado com a oportunidade. Na quarta-feira, eu vou conversar com o presidente da confederação e ver quais são as possibilidades. Vou tentar fazer todas as seletivas e ver o que vai ser possível. Espero que dê tudo certo”, comentou.

Apesar de seu desejo, Anderson afirmou que irá participar das seletivas para os jogos, que acontecerão no início do ano que vem. “Até porque [deixar de participar da seletiva] seria injusto com os outros companheiros de equipe e outros atletas que estão há muito tempo no ciclo olímpico, fazendo um trabalho a longo prazo”, explicou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments