Belfort admite erros em derrota, mas garante: ‘Quero lutar de novo contra o Weidman’

Brasileiro, no entanto, reconheceu que não é o favorito para uma nova disputa de título a curto prazo

Vitor (foto) completou 38 anos no último dia 1º de abril. Foto: Josh Hedges/UFC

Vitor (foto) também afastou qualquer chance de aposentadoria. Foto: Josh Hedges/UFC

Mais de duas semanas se passaram desde a derrota de Vitor Belfort para Chris Weidman no UFC 187, mas o revés na disputa do cinturão dos médios ainda segue dando o que falar para o brasileiro. Analisando o combate, no qual acabou nocauteado em menos de três minutos, Vitor admitiu ter cometido alguns “erros técnicos”, conforme suas próprias palavras, mas reafirmou o desejo de enfrentar Weidman mais uma vez, fazendo uma revanche pelo título no futuro.

Veja Também

Fernando Açougueiro bate Jack Godzilla e fecha semifinalistas do TUF Brasil 4
Brasileira e norte-americana disputam título de ‘Musa do TUF Brasil 4’. Veja fotos!
‘Velhinho’, Hendo atropela Boetsch em apenas 28 segundos no UFC Fight Night 68
Vídeo: Assista aos melhores momentos de Dan Henderson x Tim Boetsch

“Quando a luta foi pro chão, houve erros técnicos, mas não consegui mexer. Sentia dor no meu ombro e ele é um cara muito bom, conseguiu me dominar e eu não consegui virar com meus dois ombros no chão, não consegui repor a guarda. Houve erro técnico. Agora, questionar tira o mérito do Weidman. Sei que às vezes as pessoas fazem uma crítica que a gente não tem que ligar mesmo, são as vozes do deserto que a gente não pode ouvir. Sei tudo que fiz de errado, ninguém precisa me avisar o que foi. Sei tudo o que aconteceu. Agora, toda vez que vejo essa luta falo que quero lutar de novo com ele”, disse o “Fenômeno”, em entrevista ao programa “Sensei SporTV”.

Porém, mesmo com o sonho de voltar a dividir o octógono com seu algoz, Belfort reconheceu que está em desvantagem na corrida por uma nova chance pelo título e que outros interesses podem acabar adiando seus planos. “Se fosse do meu jeito, iríamos marcar uma revanche. Se fosse do jeito do Vitor pessoa. Mas existe um mercado, existe uma organização, existem as regras que são impostas. Você tem que seguir certas coisas”, comentou.

Por fim, Vitor descartou de vez qualquer chance de aposentadoria, embora tenha assumido que a ideia lhe passou pela cabeça logo após a derrota para Weidman. “Agora, pensando melhor, não penso nisso (em me aposentar). Sou movido a amor. Se eu tenho amor para fazer algo, se tenho confiança, se sei que posso, querer eu quero. Agora é o próximo passo, que é aguardar, esperar. Ver com o UFC, junto com meu escritório, as decisões em comum acordo. Hoje luto não porque preciso, mas porque amo. Luto porque gosto. Ver os fãs falando pra não parar, que eu os motivo, mudo a vida deles”, concluiu.

Aos 38 anos, Vitor Belfort possui um cartel profissional de 24 vitórias e onze derrotas. Atualmente, o carioca é o terceiro colocado no ranking oficial de pesos médios, atrás apenas do campeão Chris Weidman, do próximo desafiante Luke Rockhold e do compatriota Ronaldo Jacaré.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário