Diaz recebe cinco anos de suspensão por doping em luta contra Anderson

Lutador norte-americano também recebeu multa de US$ 165 mil, ou seja, 33% de sua bolsa; defesa afirmou que irá recorrer

Diaz (foto) recebeu cinco anos de suspensão. Foto: Divulgação/UFC

Diaz (foto) recebeu cinco anos de suspensão. Foto: Divulgação/UFC

Nick Diaz recebeu uma pesada punição da Comissão Atlética de Nevada por ter caído no doping em sua última luta, em janeiro, contra Anderson Silva. O norte-americano pegou cinco anos de suspensão, mais uma multa de US$ 165 mil, depois do julgamento realizado nesta segunda-feira (14), em Las Vegas (EUA).

Veja Também

Anderson Silva recebe um ano de suspensão por caso de doping no UFC
Trapalhadas: Julgamento de Anderson Silva é marcado por festival de gafes
‘Defesa de Anderson foi boba e ridícula’, analisa Chael Sonnen

Diaz, que originalmente perdeu para Anderson na decisão dos juízes, caiu no doping por ter detectados em seu organismo traços de canabis, substância presente na maconha. Mesmo se tratando de uma substância que não é utilizada para ganho de performance, a Comissão de Nevada declarou que a punição foi dada levando em conta que o lutador caiu no doping pela terceira vez pelo mesmo motivo: a primeira, em fevereiro de 2007, e a segunda, em fevereiro de 2012.

Durante o julgamento, houve momentos de tensão entre a defesa de Diaz e os comissários. O advogado do lutador, Lucas Middlebrook, alegou que houve irregularidades no teste de Diaz, já que um formulário indicava que as amostras pertenciam ao lutador – quando, na verdade, deveriam ser anônimas, especialmente no caso de um lutador de projeção internacional. Além disso, a defesa afirmou que houve dois testes que deram negativo, um realizado pouco antes e outro pouco depois à amostra que indicou positivo.

Outro momento de tensão entre a defesa e a comissão foi quando o lutador recusou se manifestar, algo o qual é reservado por direito segundo a constituição dos Estados Unidos. Mesmo assim, a comissária Pat Lundvall chegou a cogitar um banimento vitalício a Diaz, embora os demais membros da bancada tenham concordado em uma punição de cinco anos.

O advogado do lutador afirmou que irá recorrer à decisão, já que considerou a punição excessivamente pesada por haver, segundo suas palavras, desavenças pessoais com os comissários.

Caso o apelo não seja ouvido, Diaz somente retornaria às lutas em fevereiro de 2020, quando teria 36 anos de idade. A luta contra Anderson foi revertida a no contest, já que o brasileiro também caiu no doping, por anabolizantes, e pegou um ano de suspensão.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments