Campeão do Bellator, Douglas Lima garante: ‘Posso bater os caras do UFC’

Campeão meo-médio do Bellator, Lima coloca seu cinturão em jogo contra Lorenz Larkin, ex-top 5 do UFC

Douglas enfrenta Larkin no Bellator 180 (Foto: Reprodução/Facebook DouglasLima)

Douglas enfrenta Larkin no Bellator 180 (Foto: Reprodução/Facebook DouglasLima)

Atual campeão peso meio-médio (até 77kg) do Bellator, Douglas Lima quer provar que é, de fato, um dos melhores do mundo na categoria, podendo bater até mesmo os lutadores do UFC, maior organização de MMA do mundo. Neste sábado (24), em Nova York, ele terá um importante desafio pela frente: enfrenta o perigoso striker Lorenz Larkins, ex-top 5 do Ultimate, no Bellator 180. De acordo com o brasileiro, uma vitória sobre o norte-americano servirá para mostrar que o nível da companhia em que atua é tão alto quanto o do UFC.

Veja Também

Após passagem frustrante no UFC, Rafael Feijão assina com o Bellator
Fedor garante: ‘Nunca me achei o melhor de todos os tempos’

“Essa luta é muito importante. Ele é um cara que veio do UFC, vem de duas vitórias muito grandes, é um nome grande no mundo do MMA e é o que eu preciso para a minha carreira: provar que posso ganhar desses caras do UFC também. Muitas pessoas falam que o cara do Bellator não pode competir com o cara do UFC e tenho a oportunidade de provar que eles estão errados. Treinamos 12 semanas para essa luta, estamos bem preparados, dieta boa, peso descendo, o Larkin é um cara duro, um striker de alto nível, já ganhou de muitos caras duros e não vejo a hora de lutar com ele. Estou bem preparado e mal vejo a hora de botar o cinturão. Podem ficar tranquilos porque vou manter o meu com certeza. Estou treinando muito para fazer isso acontecer e vamos para cima”, declarou, em entrevista ao site ‘Combate.com’.

No Bellator, inclusive, há quatro campeões brasileiros (além de Douglas, Patrício Pitbull (penas), Dudu Dantas (galos) e Rafael Carvalho (médios), enquanto o UFC tem apenas a peso galo feminino Amanda Nunes ostentando o cinturão. Para Douglas, o importante é que o Brasil continue sendo bem representado, independente da organização.

“No UFC perdemos alguns campeões, mas no Bellator tem quatro, então estamos indo bem pelo menos aqui no Bellator. É bom representar o Brasil e continuar como campeão porque precisamos de mais campeões brasileiros”, concluiu.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments