Aldo diz que novo caso de doping mancha o legado de Anderson Silva

José Aldo acredita que casos de doping poder sujar a carreira construida pelo ex-campeão peso médio do UFC

 

Aldo opinou sobre a carreira de Anderson (Foto:Reprodução/Facebook UFC)

Aldo opinou sobre a carreira de Anderson (Foto:Reprodução/Facebook UFC)

O novo caso de doping de Anderson Silva vem dividindo opiniões no mundo do MMA. Ainda sem ser revelado qual a substância proibida encontrada no organismo do ex-campeão dos médios, Spider continua sem saber qual será seu futuro no esporte. No entanto, muitos afirmam que a imagem deixada no passado sofrerá alterações em virtude das polêmicas recentes.

Veja Também

Jacaré revela acordo para enfrentar Derek Brunson no UFC Belém
José Aldo defende McGregor após polêmica no Bellator

Questionado sobre o assunto durante durante o Media Day realizado nesta segunda-feira (20), José Aldo não ficou em cima do muro e opinou: para ele, o legado construído pelo compatriota fica manchado, uma vez que casos de doping sujam a credibilidade de outrora.

“Querendo ou não, reduz bastante. Ele foi pego duas vezes. Pode atrapalhar, sim, sujar a carreira dele, que, para mim, foi uma das melhores. É difícil falar do Anderson, se é ou não é. Ele é um ídolo para todos nós. Não posso falar muito a respeito, não sei direito das coisas. (…) Isso suja uma carreira, hoje em dia, muitos fãs, jornalistas e pessoas do meio falam que o Anderson só foi campeão porque foi dopado. Isso suja a carreira. Tento tomar todas as precauções, fazer exatamente da maneira que tem que ser feito. Antes de iniciar o camp, mando email para a USADA e para a WADA falando tudo o que vou tomar e, quando liberam, a gente começa. É uma precaução que não só eu, mas todos os atletas precisam tomar” declarou o peso pena, que em 13 anos de carreira nunca foi pego em nenhum exame antidoping.

O novo caso de doping surge dois anos depois de Anderson ter sido pego em um exame pela primeira vez. Em janeiro de 2015, o ex-campeão dos médios foi pego em um teste antes de enfrentar Nick Diaz no UFC 183. Na ocasião, a substância proibida encontrada no teste do brasileiro foi a drostanolona um anabolizante que atua na musculatura, fazendo com que ela cresça e se torne mais rígida e a androsterona é um derivado da testosterona.

Por já ter caído uma outra vez em exame antidoping, o Spider poderá pegar um gancho de até quatro anos, caso fique comprovado que ele agiu com má fé no uso de substância banida pela USADA. Com isso, Anderson só voltaria a lutar com 46 anos. O brasileiro tinha luta marcada contra Kelvin Gastelum para o UFC Xangai do próximo dia 25 de novembro, mas foi retirado do duelo para focar em sua defesa. Em seu lugar, o ex-campeão Michael Bisping, recém-derrotado por Georges St. Pierre, enfrentará o promissor Gastelum.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments