Como escolher o melhor empréstimo pessoal

Se você está lendo isso, provavelmente é porque você precisa de um empréstimo por uma das duas razões: você quer consolidar a dívida acumulada — ou seja, juntar todas as dívidas que possui em uma só, para pagar menos — ou precisa de dinheiro para uma compra ou despesa específica. Essa distinção é importante porque o objetivo de um empréstimo determinará quais recursos te atenderão melhor e qual credor escolher, como Crefisa ou MoneyMan.

Tome, por exemplo, um empréstimo destinado a cobrir uma despesa imprevista. Nesse caso, o empréstimo só precisa fornecer crédito ao que você considera um custo aceitável (taxa de juros). Mas, um empréstimo tomado para consolidar a dívida, por outro lado, só fará sentido se tornar a dívida existente mais barata ou permitir que você saia dela. Por esse motivo, os empréstimos de consolidação da dívida precisam ser escolhidos com mais cuidado e somente depois que você fizer alguma matemática. Vamos dar uma olhada nos principais pontos a considerar para escolher o melhor empréstimo!

Taxa de juro

A taxa de juros é provavelmente a primeira coisa que você vai ver ao escolher um empréstimo. Este valor, combinado com a duração do período de pagamento, determinará a quantidade de juros que você paga ao longo da vida de um empréstimo. Então, as perguntas são: como você garante a menor taxa de juros possível?

Tudo se resume à escolha do credor e ao seu perfil de risco. Quanto maior o risco de um pagamento padrão, maior será a taxa de juros que você pagará. Assim, mesmo que a taxa de juros para alguém com um perfil de risco específico varia entre os credores, a melhor maneira de obter uma taxa de juros baixa é, na verdade, melhorar sua pontuação de crédito.

Taxas e encargos

Todo empréstimo pessoal envolve uma taxa de administração mensal, mas algumas taxas são mais altas do que outras e alguns empréstimos estão sujeitos a custos ocultos. Para alguns credores, são essas cobranças que fazem deles dinheiro. Eles mantêm suas taxas de juros baixas para atrair clientes e, em seguida, cobram grandes taxas mensais para obter um lucro considerável. Ao comparar empréstimos, certifique-se de checar o CET, Custo Efetivo Total, e lembre-se de perguntar ao credor, a empresa que está cedendo o dinheiro, se existem custos ocultos.

Período de pagamento

Um empréstimo com um período de pagamento mais longo pode parecer mais atraente, uma vez que reduz os pagamentos mensais, mas você deve estar ciente de que um empréstimo pago a longo prazo incorrerá em um maior montante de juros e mais taxas. Sempre procure um empréstimo pessoal que você paga no menor tempo possível. Você terá que pagar mais a cada mês, mas economizará mais a longo prazo.

Consequências do atraso

Considere também as consequências de perder um pagamento. Você nunca deve solicitar um empréstimo pessoal com a intenção de pagar atrasado ou inadimplente, mas surgem situações que dificultam ou até impossibilitam o pagamento no prazo. Se uma greve afetar seu trabalho e seu salário, você deve ser capaz de se aproximar de seu credor e renegociar as condições do empréstimo. Quando você sabe que vai perder um pagamento, não espere ser cobrado. Ligue para o centro de ajuda ou vá até a filial para falar com o centro de atendimento.

Bom atendimento ao cliente

Os melhores serviços de empréstimo oferecem uma linha de apoio e permitem que você faça pagamentos adicionais com facilidade. Isso permite um grau ainda maior de controle sobre suas finanças. Procure por credores que ofereçam diversos canais de atendimento ou aplicativos para celulares, que facilitam o acompanhamento do contrato e pagamento das parcelas.

Um empréstimo pessoal pode muitas vezes ser o “mocinho” da sua vida financeira. Basta seguir essas dicas e escolher a melhor opção para colocar sua casa em ordem.

 

Deixe seu comentário