Às vésperas do UFC Fortaleza, Marlon Moraes avisa: ‘Esta é a minha hora’

O lutador friburguense reconheceu as qualidades do rival, mas que uma vitória para ter sua chance de disputar o cinturão dos galos: ‘Estou mais preparado do que nunca’

M. Moraes vem em uma sequência de três vitórias no UFC. Foto: Reprodução/Instagram @mmarlonmoraes

Marlon Moraes vai medir forças com Raphael Assunção na luta principal do UFC Fortaleza, no próximo sábado (02). O vencedor do combate deve se credenciar para ser o próximo desafiante ao título dos galos contra TJ Dillashaw. ‘Magic’ ocupa a quarta colocação no ranking da categoria e vem em uma sequência de três triunfos e em dois deles por nocaute. Às vésperas do duelo, o friburguense reconheceu as qualidades do rival, mas afirmou que esta é a sua hora de vencer e ter a chance de disputar o título do Ultimate.

Veja Também

Raphael Assunção e Marlon Moraes fazem revanche na luta principal do UFC Fortaleza
Moraes quer que revanche com Assunção seja pelo cinturão interino dos galos

“O Raphael é um grande atleta, mas esta é a minha hora de vencer e de ter a minha chance de lutar pelo cinturão. Estou mais preparado do que nunca”, assegurou Marlon em entrevista ao site do canal Combate.

O encontro entre os compatriotas no UFC Fortaleza será uma revanche. No primeiro combate, Assunção levou a melhor e venceu Moraes por decisão dividida dos juízes no UFC 212 em junho de 2017. Na ocasião, Marlon fazia sua estreia no Ultimate após ser campeão dos galos no World Series of Fighting (WSOF). Passados quase dois anos, o friburguense afirmou que está mais experiente e sairá vencedor no sábado (02).

“Acho que não (faz diferença), acho que eu estou mais experiente por estar lutando, melhorando treinando, aprendendo. Acho que isso não tem nada a ver, não tem desculpa, e é ir lá agora e fazer o dia 2 de fevereiro ser o meu dia. Infelizmente, quando nós lutamos, não foi”, disse Moraes.

Independente da rivalidade dentro do octógono, Marlon disse que não tem nada contra Raphael. Ele acredita que os dois são lutadores profissionais que estão fazendo seu trabalho na mesma categoria e em busca de seus sonhos.

“Como pessoa, nada contra ele. Mas nós somos dois atletas, na mesma categoria, com os mesmos sonhos, e ele tem a família dele, o time dele, ele luta por eles e eu luto pelos meus, eu não vou deixar, não quero que ele tire o que eu posso proporcionar pras pessoas que eu gosto e estão do meu lado”, concluiu o ex-campeão do WSOF.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário