Sérgio Cabral oficializa o Bitetti Combat

Amaury Bitetti e Sérgio Cabral

Um dia histórico para o MMA brasileiro. Diante de uma platéia com grandes personalidades, dos principais veículos de comunicação do país e de toda a equipe do Bitetti Combat, o Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, subiu ao octagon. Não como lutador, mas como grande apoiador da luta, foi o que o governador fez na tarde desta segunda-feira (3 de agosto), no Palácio Guanabara. Ao descer pelas escadarias, caminhavam ao lado de Cabral os promotores Amaury Bitetti, Fernando Miranda e a secretária de Turismo, Esporte e Lazer Márcia Lins. Na platéia o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, o secretário de Esportes Chiquinho da Mangueira e o superintendente da Polícia Federal Ângelo Gioia se misturavam à figuras importantes do mundo das lutas como Robson Gracie, Oswaldo Alves, João Alberto Barreto e Oswaldo Paquetá, só para citar alguns dos tantos presentes.

Sérgio Cabral elogiou o projeto Luta Pela Pacificação, que levará artes marciais às comunidades pacificadas do Rio, e os lutadores presentes, que têm contribuído ao lado das Polícias através de seminários. Além disso, afastou qualquer relação entre prática de lutas e violência: “Eu pessoalmente no ringue sempre fui um fracasso, sou bom apenas na luta política”, disse Cabral. “Acompanho hoje de perto os benefícios das artes marciais. Não conheço pessoa mais pacífica que meu filho Marco Antônio, que pratica artes marciais. Meu filho José Eduardo, de 13 anos, também já quer começar a praticar. O Governo tem trabalhado ao lado de muitos grandes eventos e esse será mais um. Garanto que terá repercussão internacional”, comentou o governador, que recebeu das mãos de Bitetti um par de luvas.

“É um dos esportes mais praticados em todo o mundo. A luta foi bastante desenvolvida na Grécia antiga e surgiu exatamente para haver um equilíbrio entre o corpo e a mente”, também comentou a secretária Márcia Lins.

Depois de assinar os documentos que firmavam parceria com o Bitetti Combat e Luta pela Pacificação até 2016 e Amaury Bitetti como presidente da Confederação Brasileira de MMA, foi a vez de os lutadores mostrarem as técnicas. Filho de Cabral, Marco Antonio treinou com Milton Vieira. Já Ricardo Arona mostrou o que sabe com Paulo Filho, Henrique Chocolate com Leonardo Chocolate e Rodrigo Artilheiro com Antoine Jaoude.

“Conseguimos fazer com que os grandes artistas da modalidade, que são idolatrados fora do país, pudessem lutar aqui e no maior palco, o Maracanãzinho. E tudo isso atrelado ao que é mais importante, um projeto social que levará o esporte para crianças carentes”, comemorou o organizador Fernando Miranda.

“Agradeço a Deus pela oportunidade de hoje representar aqui muitos lutadores. Garanto que será um grande espetáculo. Muito Obrigado”, discursou Amaury Betetti, seguido de muitos aplausos.

A cerimônia foi observada por um público de aproximadamente 300 pessoas. Além da maioria dos lutadores do card, feras como Rogério Minotouro, Pedro Rizzo, Glover Teixeira, Alexandre Pulga e Luciano Azevedo, marcaram presença outras figuras importantes da luta como os treinadores Artur Mariano, Luiz Alves, Daniel D´Dane, Eraldo Paes e Sérgio Babu; o professor de lutas na PF pela ANSEF José Baioneta; os promotores de MMA André Bottino, Marcio Keske e Otávio Tatá, entre muitos outros.



Deixe seu comentário