Parceiro de Anderson que simulou Brunson crava: ‘Spider vai nocautear’

Vinícius Thunder, lutador do Brave, falou com o SUPER LUTAS sobre preparação do ex-campeão para o UFC 208

Thunder (dir) posa com A. Silva (esq) FOTO: Arquivo Pessoal

Thunder (dir) posa com A. Silva (esq) FOTO: Arquivo Pessoal

O ex-campeão Anderson Silva retorna ao octógono no UFC 208 deste sábado (11) em busca de redenção, após duas derrotas seguidas. E poucas pessoas podem falar melhor sobre o estado de espírito do brasileiro que Vinícius “Thunder” Cruz, lutador do Brave e responsável por simular o estilo de luta do adversário do Spider, Derek Brunson. Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o meio-médio da X-Gym garantiu que o companheiro de equipe readquiriu a confiança perdida após a lesão na revanche contra Chris Weidman e está pronto para chocar o mundo com um nocaute histórico.

“Eu estive com o Anderson na preparação da luta para o Nick Diaz e o sentia meio receoso por conta da lesão. Acho que ele ficou um pouco assim ainda contra o Bisping, mas agora eu acho que o Anderson Silva está de volta. Confiante e pronto para dar show”, sentenciou Thunder, que fará sua estreia no Brave no fim de março em evento que será disputado nos Emirados Árabes.

Veja Também

A. Silva fala com a imprensa antes do UFC 208 (FOTO: Jeff Bottari/Getty Images)
Anderson defende sindicato de lutadores: ‘Evolução do esporte’
A. Silva brinca com D. Brunson após encarada (FOTO: Jeff Bottari/Getty Images)
Na primeira encarada, Anderson posa abraçado com rival Derek Brunson
Boetsch enfrenta Jacaré no card principal do UFC 208. (Foto: Getty Images)
Adversário de Jacaré, Boetsch elogia o brasileiro: “É o melhor lutador da divisão”

Canhoto como Brunson e com faixa marrom de jiu-jitsu, Vinícius fez várias sessões de sparring com Anderson, sempre procurando emular o norte-americano, que vem de derrota para Robert Whittaker. Na análise do companheiro de Spider, o estilo de Brunson é bom para o ex-campeão.

“A gente sabe como o Brunson luta. Tem boa trocação, mas o forte dele são as quedas. Mas é paradão. Qualquer ser humano que ficar parado na frente do Anderson Silva corre o risco de levar um golpe do nada, de ser nocauteado. Esse é o Anderson”, confidenciou Vinícius, que enfrenta o libanês Mohammad Fakhreddine em Abu Dhabi, na sua estreia no Brave.

Leia a entrevista com Vinícius Thunder:

SUPER LUTAS: Como você está sentindo o estado de espírito do Anderson para a luta com o Brunson?
Vinícius Thunder: Eu estive com o Anderson na preparação da luta para o Nick Diaz e o sentia meio receoso por conta da lesão. Acho que ele ficou um pouco assim ainda contra o Bisping, mas agora eu acho que o Anderson Silva está de volta. Confiante e pronto para dar show. Participei também da preparação dele para o Uriah Hall e posso dizer que agora ele está muito mais motivado, focado e querendo vencer mesmo. Ele está de volta.

SL: Como você contribuiu para a preparação do Anderson?
VT: Como eu sou canhoto e estou com o peso parecido com o dele agora, eu simulei o estilo do Brunson. Na parte em pé, principalmente. Mas sou faixa marrom de jiu-jitsu, então também dei uma força no treino de defesa de quedas e de chão. Mas trabalhamos mais na luta em pé.

SL: O que você pode dizer do Derek Brunson? Qual sua análise?
VT: A gente sabe como o Brunson luta. Tem boa trocação, mas o forte dele são as quedas. Mas é paradão. Qualquer ser humano que ficar parado na frente do Anderson Silva corre o risco de levar um golpe do nada, de ser nocauteado. Esse é o Anderson.

SL: No tempo que você treinou com o Anderson Silva, há algo de diferente que você notou nele em relação aos treinos?
VT: Ele está muito mais rápido, mais contundente. Batendo doído mesmo (risos). Eu sou meio-médio, mas agora estou com 92 kg. e ele chegou com 91 kg. então os treinos foram ótimos, mas ele está muito mais contundente.

SL: Você falou que o Anderson está mais confiante. Qual a diferença para as últimas lutas dele?
VT: É aquilo que eu falei. Você sentia o Anderson com um pouco de receio nos treinos, o pé atrás mesmo. Uma coisa natural de quem passou por uma lesão grave como a dele. Poucas vezes eu vi o Anderson tão bem nos treinos, confiante e feliz. Vem vitória por aí.

SL: E você faz sua estreia internacional em março. Qual a expectativa?
VT: Eu tenho uma boa carreira no circuito nacional e agora estou dando meus primeiros passos lá fora. O Brave é um evento importante no Oriente Médio e eu quero dar show. Vou pegar um cara duro que é o Mohammad Fakhreddine, mas quero vencer e chamar a atenção.

 

 

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário