De volta aos meio-médios, Pitbull promete ‘surra’ em Côté no UFC 210

Após descer para os leves, Pitbull retorna ao meio-médios no próximo sábado (08), contra Patrick Côté

Pitbull retorna aos meio-médios neste sábado (08). (Foto: Buda Mendes/ UFC)

Pitbull retorna aos meio-médios neste sábado (08). (Foto: Buda Mendes/ UFC)

A trajetória de Thiago Pitbull como peso leve (até 70kg) durou apenas uma luta. Derrotado por Jim Miller no UFC 205, em novembro passado, o brasileiro retorna ao peso meio-médio (até 77kg) no próximo sábado (08), contra Patrick Côté no UFC 210. Otimista, o atleta da American Top Team garantiu que a preparação para o próximo combate foi feita de maneira correta, e prometeu nocautear seu adversário ainda nos dez minutos iniciais.

Veja Também

Lawler (esq) e Cerrone (dir) se enfrentam em julho. (Fotos: UFC/Montagem: Super Lutas)
Após perda do cinturão, Lawler retorna contra Cerrone no UFC 213
Aldo enfrenta Holloway no UFC 212, em junho (Foto: Josh Hedges/UFC)
José Aldo elogia Max Holloway, mas ressalta: “Sou franco favorito”

“A preparação está do caramba, já fiz o último sparring e estou pronto. Achei maneira a luta, o Côté é experiente, tem muito tempo de UFC, então acho que vai ser maneiro bater nele. É um cara que tem uma trocação ok, o chão ok, o wrestling ok, começou a usar mais o wrestling nessa categoria, é um cara duro, mas sou melhor que ele em todos os cantos. É só impor meu jogo e pegar a vitória. Eu acho muito difícil ir para distância. Se for para a distância, ele vai tomar um pau por 15 minutos, mas acho que finalizo no primeiro round ou no máximo no segundo round. Vai ser nocaute. O juiz vai me tirar de cima”, garantiu o lutador.

Vindo de duas derrotas consecutivas, Pitbull afirmou que não se sente pressionado na organização. De acordo com ele, embora não esteja sequer no ranking da categoria, seu foco continua sendo o cinturão, que atualmente pertence a Tyron Woodley.

“Não me preocupo com a minha situação no UFC. Sei o valor que tenho como lutador, isso não me preocupa. A última luta não contou, foi uma situação horrível para mim, numa categoria que não consegui bater o peso. Muita coisa deu errado na semana da luta, um mês antes também, meio que foi um mal que veio para o bem. Hoje em dia estou muito melhor na minha categoria de origem, é uma parada que não deu certo e vou mostrar que essa é a minha divisão e bater nesses caras. Estou novo ainda, me divertindo, tenho muita experiência, muitos anos de UFC, acho que dá pra fazer mais ainda. Minha meta sempre é pegar o cinturão. Eu me tirei do ranking só duas vezes. Uma quando passei dois anos sem lutar, fiz quatro cirurgias, uma atrás da outra, e a segunda foi agora, descendo de peso. Mas sempre lutei com os melhores, vou voltar para o ranking, sei que tenho condição de ser campeão nessa categoria ainda, é só questão de tempo e de voltar a ativa”, concluiu.

Aos 33 anos, Pitbull não luta desde novembro do ano passado, quando foi superado por Jim Miller no card preliminar do UFC 205, em sua primeira e única atuação na divisão dos leves (até 77kg). O brasileiro, que tem um cartel profissional de 21 vitórias e 11 derrotas, soma 13 triunfos e oito reveses no Ultimate, e chegou a disputar o cinturão meio-médio contra Georges St. Pierre no histórico UFC 100, em 2009, mas foi dominado pelo canadense.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário