Manuwa reclama de Cormier x Jones e cogita duelo com Maurício Shogun

Terceiro colocado no ranking dos meio-pesados, Manuwa não escondeu descontentamento por não disputar o cinturão da divisão

Manuwa quer disputar o cinturão do UFC (Foto: Josh Hedges/UFC)

Manuwa quer disputar o cinturão do UFC (Foto: Josh Hedges/UFC)

O anúncio da revanche entre Daniel Cormier e Jon Jones para o UFC 214, dia 29 de julho, deixou Jimi Manuwa bastante descontente. Número 3 no ranking dos meio-pesados, o inglês alegou que fez por merecer uma chance de disputar o cinturão da categoria, e criticou a escolhe de Jones para o posto de desafiante.

Veja Também

Manuwa ironizou situação de Jones (Foto: Josh Hedges/UFC)
Manuwa desdenha de confronto contra Jones: “Ele usa esteroides”
Cormier (esq) e Jones (dir) se enfrentam em julho (Fotos: UFC/Montagem: Super Lutas)
Daniel Cormier e Jon Jones fazem revanche pelo cinturão no UFC 214

“Não queria que Jones simplesmente passasse a frente. Tenho trabalhado duro e nocauteado pessoas. Acho que mereço essa disputa de título. Ele é um dos maiores de todos os tempos, mas está fora há um ou dois anos. Jones precisa de uma para voltar à ativa, e ele sabe disso”, declarou, em entrevista à “ESPN” americana.

Apesar de contrariado com a decisão do Ultimate, Manuwa garantiu que ser preterido por ‘Bones’ não irá mudar seus planos para o futuro. De acordo com ele, uma luta nas regras do boxe está em cogitação.

“Vou ficar incomodado (se Jon Jones disputar o cinturão), mas no fim das contas, isso não vai determinar o que vou fazer. Tenho opções, tenho David Haye. Quero meu “title shot”, eu mereço, mas tenho opção, e isso não vai definir minha carreira. Dana gostou. Chamamos David Haye para falar sobre números. David está interessado. Vamos ver o que acontece. Não há um acordo, mas é muito possível. Dana gostou dos números e disse que a luta é, definitivamente, possível. Juntos, com a equipe de David Haye e o UFC, vamos esgotar os ingressos”, disse o lutador.

Questionado sobre seu próximos passos no MMA, Jimi citou o brasileiro Maurício Shogun como possível adversário, mas ressaltou que considera o confronto como um passo atrás.

“A única pessoa que lutaria (além de Cormier) seria Shogun. Adoraria lutar com ele, mas, para mim, é dar um passo atrás. Minha última luta era para ser contra Glover Teixeira, o que seria um passo à frente. A luta não aconteceu, então enfrentei Corey Anderson e venci com um nocaute em dois ou três minutos. Shogun está abaixo de mim no ranking, então seria um passo atrás”, concluiu.

Aos 37 anos, Manuwa vem de duas vitórias consecutivas, ambas por nocaute – derrotou Ovince St. Preux no UFC 204, em outubro de 2016, e Corey Anderson no UFC Londres, em março passado. Ao todo, soma seis resultados positivos e dois negativos na companhia.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário