Anderson Silva fala em aposentadoria pela primeira vez após lesão

Ídolo brasileiro usa rede social para comentar possibilidade de se retirar do esporte após resultado inesperado no UFC 237, no último sábado

A. Silva fala pela primeira vez sobre aposentadoria. Foto: Reprodução Facebook UFC

O ex-campeão mundial dos médios (até 83,9kg) Anderson Silva divulgou aos seus fãs uma postagem em que assumi cogitar sua aposentadoria após a derrota no UFC 237. O lutador usou sua conta no Instagram na quarta-feira (16) para fazer uma publicação na qual reflete sobre o atual momento vivido por ele. ‘Spider’ sofreu a 7ª derrota nos últimos nove compromissos.

Veja Também

Johnny Walker acredita que mais duas vitórias o credenciam à disputa pelo cinturão
Adversário de Vicente Luque é flagrado no doping e substituído no UFC Rochester, neste sábado
Kevin Lee promete batalha sangrenta contra Rafael dos Anjos neste sábado

“Nesses quatro dias, após mais uma missão que não foi bem sucedida, estou me questionando se ainda devo ou não continuar treinando, me dedicando, superando lesões, dores e etc. Me pergunto sempre: ‘será que o amor que sinto pelo esporte não está consumindo minha mente e meu corpo ao ponto de não poder mais continuar’?”, questionou Silva.

Anderson ainda comentou sobre sua dedicação ao esporte e todas as dificuldades que enfrenta para se manter em forma e preparado contra as adversidades dentro do MMA.

“Tudo que sempre fiz foi ser um bom soldado no meu campo de batalha, o mais bem treinado, o mais disciplinado e pronto para morrer por minha missão, pois meu amor ao meu trabalho sempre falou e fala mais alto. Eu tenho a plena certeza que posso fazer tudo isto mais mil vezes, mas, nos últimos quatro dias, com dor, com a incerteza que não são novidades na minha rotina estão me consumindo mais do que antes. Na verdade, meu coração e minha mente de guerreiro me confundem ao ponto de criar dúvidas”, escreveu o lutador.

Anderson Silva é considerado por muitos o maior atleta de MMA de todos os tempos. Em seu auge, ‘Spider’ conseguiu dominar a divisão dos médios e realizar feitos que poucos lutadores conseguirão. O número de defesas de cinturão que o brasileiro possui (10) foi quebrado apenas uma vez, por Demetrious Johnson (11), na categoria dos moscas (até 56,7kg.).

Hoje, aos 44 anos, o brasileiro se encontra em um dilema sobre dar seguimento à bem-sucedida carreira, ou aceitar os fatos de que seu corpo não é mais o mesmo de tempos atrás e decretar sua aposentadoria. Mais experiente, o atleta definitivamente não passa vergonha quando adentra ao octógono; prova disso é sua última batalha contra o atual campeão interino da categoria, Israel Adesanya. Na ocasião, muitos acreditavam em um vexame do brasileiro, que lutou de igual para igual contra o promissor atleta.

Ao fim da sua publicação, a lenda brasileira ainda deixou um recado para os fãs, porém deixou no ar as suas expectativas para o futuro.

“Galera o que devemos realmente fazer é aproveitar todas as oportunidades que a vida nos dá para nos aprimorarmos como pessoas.
Portanto, lembre-se sempre que os seus fracassos são sempre os melhores professores e é nos momentos difíceis que as pessoas precisam encontrar uma razão para continuar em frente. As nossas ações, especialmente quando temos de nos superar, fazem de nós pessoas melhores. A nossa capacidade de resistir e de continuar o caminho é que nos torna pessoas especiais”, finalizou Anderson.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

PARAR OU CONTINUAR?!?!? Fala meu povo… Fico freqüentemente me perguntando, o que cada um de nós está fazendo neste planeta? Se a vida for somente viver por viver o máximo possível as horas e minutos esse definitivamente não é meu lema. Tenho a plena convicção de que existe um sentido maior em tudo o que vivemos e fazemos aqui, a vinda neste plano terrestre tem um sentido maior do que simplesmente viver por viver, acredito que é uma busca constante de evolução. Nesses 4 dias após mais uma missão que não foi bem sucedida estou me questionando se ainda devo ou não continuar treinando, me dedicando, superando lesões dores e etc… Me pergunto sempre, “será que o amor que sinto pelo meu esporte não está consumindo minha mente e meu corpo ao ponto de não poder mais continuar ???” Enfim… tudo que sempre fiz foi ser um bom soldado no meu campo de batalha, o mais bem treinado, o mais disciplinado e pronto pra morrer por minha missão, pois meu amor ao meu trabalho sempre falou e fala mais alto. Eu tenho a plena certeza que posso fazer tudo isto mais 1000 mil vezes, mas nos últimos 4 dias com dor, com a incerteza que não são novidades na minha rotina estão me consumindo mais do que antes, na verdade meu coração e minha mente de Guerreiro me confundem ao ponto de criar duvidas. Por um outro lado percebo que não sou e nem tenho que ser perfeito, o quanto está busca durante anos me trouxe coisas boas e ruins também. Porque resolvi falar sobre o que estou sentindo aqui pra vocês meu povo, porque acredito que muitos de vocês que me seguem tem um carinho e uma admiração pelo meu trabalho e por outro lado estou sempre tentando colocar mensagens positivas de motivação para todos vocês… Galera o que devemos realmente fazer é aproveitar todas as oportunidades que a vida nos dá para nos aprimorarmos como pessoas. Por tanto lembre-se sempre que os seus fracassos são sempre os melhores professores e é nos momentos difíceis que as pessoas precisam encontrar uma razão para continuar em frente. As nossas ações, especialmente quando temos de nos superar, fazem de nós pessoas melhores. A nossa capacidade de resistir e de continuar o caminho é que nos torna pessoas especiais.

Uma publicação compartilhada por Anderson “The Spider” Silva (@spiderandersonsilva) em

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário