Belfort quer trazer ONE para o Brasil e revela vontade lutar com Anderson e Wanderlei Silva

Veterano do MMA faz planos para aumentar popularidade de nova organização em terras tupiniquins e projeta evento no Maracanã

V. Belfort quer trazer ONE FC para o Brasil. Foto: Reprodução/Instagram @vitorbelfort

O brasileiro e ex-campeão do UFC, Vitor Belfort, parece estar empolgado desde que assinou contrato com o ONE FC, após realizar mais de 20 combates pelo Ultimate. Aos 42 anos, o carioca revelou planos para elevar o nome da ‘nova casa’, mais conhecida, hoje, no continente asiático. Em entrevista recente ao ‘Combate’, o ‘Fenômeno’ fez planos para fazer um evento no Maracanã, além de projetar possibilidades de enfrentar nomes como Andersol e Wanderlei Silva, Chael Sonnen e Fedor Emelianenko.

Veja Também

Anderson Silva responde às críticas sobre dupla cidadania: ‘Muita gente pegou pesado’
Cris Cyborg é cotada como ampla favorita contra Felicia Spencer no UFC 240
St-Pierre afirma que ainda não enfrentou Khabib porque culpa do UFC: ‘Têm medo que eu o vença’

“A organização está indo para o Brasil. O One já está abrindo um escritório no Brasil e o evento vai chegar em breve. A ideia é solidificar o esporte cada vez mais no Brasil. Vamos fazer história de novo”, disse Vitor.

Belfort foi um dos nomes que ajudaram a solidificar o MMA na cultura mundial. O lutador iniciou sua carreira na década de 1990, e, nos anos 2000, garantiu publicamente que as artes marciais mistas seria um esporte valorizado e reconhecido. Após mais de 20 anos de carreira, Vitor pôde acompanhar o crescimento da modalidade, além de ver o crescimento do UFC, para quem trabalhou até o ano passado.

Em sua carreira, o ‘Fenômeno’ teve a oportunidade de enfrentar grandes nomes da geração passada, como Randy Couture, Wanderlei Silva, Dan Hernderson, Rich Franklin, Chuck Liddel e Tito Ortiz. Atualmente, Belfort falou, também, sobre a possiblidade de reeditar combates contra atletas que enfrentou no passado.

“Um cara que eu adoraria poder lutar e todo mundo queria ver, era o Anderson. Quem seria o cara para o Anderson lutar no UFC? Não tem ninguém para ele lutar lá. Só tem essa nova geração. O Anderson merecia lutar comigo de novo. É uma luta que eu adoraria ver. Eu e Wanderlei, eu contra o Chael Sonnen, eu contra o Fedor (Emelianenko). Tem muitas lutas legais, mas, para isso, os fãs têm que pressionar as organizações para que isso aconteça”, declarou o veterano.

Segundo Belfort, a previsão é que o ONE FC comece a explorar o mercado brasileiro no início de 2020. Para o lutador, a expectativa é que a companhia divida com outras organizações as possibilidades de realizar grandes eventos em solo tupiniquim, haja vista que a quantidade de talentos e entusiastas do esporte é bastante significativa no país.

“A gente fala em algo para o fim do ano ou início do ano que vem. Esse é o objetivo. Será algo duradouro, algo que a gente possa implantar. A gente vai entrar no Brasil com força. Não queremos só entrar com o esporte, queremos gerar emprego, turismo, educação na arte marcial, implantar nas comunidades, ajudar as academias locais. O ONE tem o objetivo de ajudar as pessoas que já tenham seus projetos sociais, enfim, colaborar para que os novos talentos surjam”, finalizou o atleta.

Vitor assinou contrato com o ONE em fevereiro deste ano. O carioca, no entanto, ainda não estreou pela nova companhia. Ao longo de sua carreira, o brasileiro já lutou por 41 vezes, vencendo 26, sendo derrotado 14, além de somar um combate sem resultado.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments