Aos 40 anos, Cormier fala sobre aposentadoria: ‘Quero parar com o cinturão’

Em entrevista, campeão dos pesados afirma desejo de pendurar as luvas atuando em alto nível e critica lendas que permanecem atuando com baixo rendimento

D. Cormier está próximo da aposentadoria. Foto: Reprodução/Instagram @dc_mma

Com o passar dos dias, o tempo para a aposentadoria de Daniel Cormier vem se aproximando. Com luta marcada para este sábado (17), em que defenderá pela segunda vez seu título dos pesados (até 120,2kg.), no UFC 241, o lutador está próximo de tomar uma dura decisão em sua carreira: a de parar ou fazer mais um combate após este final de semana. Em entrevista ao ‘MMA Fighting’, ‘DC’ falou sobre o que pensa em relação ao ponto final na carreira.

Veja Também

Depois de alívio por vitória em estreia, Rodolfo Vieira se espelha em Khabib para evolução
Após quebrar o nariz, Perry passa por cirurgia e manda recado: ‘Não conseguem me nocautear’
VÍDEO: Assista os melhores momentos de Vicente Luque x Mike Perry no UFC Montevidéu

“A minha cabeça está nesta luta. Nós fazemos uma coisa de cada vez, porque, para um campeão, e um cara que tem sido um campeão há muito tempo, em um ponto você começa a ganhar quantias incríveis de dinheiro e o nível de fama é tão alto, as pessoas lutam para ir embora”, disse Cormier.

Daniel também se apoiou no argumento de não querer ter um fim de carreira apático, como é visto em algumas situações no MMA. Para o lutador, diversos atletas que já foram lendas do esporte permanecem lutando e acabam apagando as coisas boas que fizeram pelas artes marciais mistas e a lembrança que resta são as últimas apresentações.

“Há muito tempo, eu disse que eu não gostaria de ser um cara que se apoia nas minhas próprias costas. Muitos grandes campeões no esporte fizeram isso. Eles se aposentaram como ex-campeões. Eles deixaram seus fãs com aquela última visão dos seus atletas favoritos no passado. Eles ficam parados no centro do octógono enquanto o cinturão deles é colocado em outra pessoa. Eu não quero ser esse cara”, indagou DC.

O norte-americano afirma as condições necessárias para que ele decida, de fato, abandonar o esporte. Para Daniel, a decisão deve ser tomada pelo próprio atleta em comum acordo com suas condições físicas.

“Quero ser um tipo que saia à sua maneira. Eu sei que quando você completa 40 anos, esse tempo começa a se aproximar. Eu só tenho que decidir se esse tempo é agora ou um pouco mais tarde”, contou o peso-pesado.

O duelo contra Stipe Miocic marcará o reencontro dos atletas, desde que DC destronou o compatriota e assumiu o posto de detentor do título da categoria dos pesados. Em caso de nova vitória, muito se especula um terceiro confronto entre Cormier e seu eterno rival, Jon Jones, atual campeão dos meio-pesados (até 93kg.) e único atleta do planeta a conseguir bater Daniel.

Sobre uma possível última luta antes após o UFC 241, Cormier foi categórico. O atleta não nega a possibilidade, mas, no entanto, tem suas exigências para que seja convencido a subir no octógono mais uma vez.

“Se você tem um cara que está na minha situação que ganhou 90% de suas batalhas, foi campeão e viveu essa vida tremenda que eu fui abençoado, você não quer ficar subir ao octógono contra qualquer um. Precisa ser algo grande”, finalizou o lutador.

Atualmente aos 40 anos, DC soma em seu cartel profissional 23 lutas, com 22 triunfos e uma derrota. O atleta também é ex-campeão meio-pesado da em

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário