Na busca pelo cinturão, Ngannou pede revanche contra Miocic: ‘Na primeira luta, eu não sabia o que estava fazendo’

Vindo de três bons triunfos na categoria dos pesados, franco-camaronês quer reeditar embate contra Stipe, para quem perdeu em 2018

F. Ngannou em pesagem oficial. Foto: Reprodução/YouTube ufc

O peso pesado (até 120,2kg.), Francis Ngannou, atualmente, é um dos atletas mais temidos do MMA. Dono de um poder de nocaute descomunal, o lutador, que vem de três vitórias seguidas dentro de sua divisão, pede por mais uma chance de disputar o cinturão, que hoje pertence a Stipe Miocic, para quem perdeu em 2018. Em entrevista recente ao ‘MMA Fighting’, o franco-camaronês afirmou que vive um novo momento na carreira e que a história, desta vez, seria diferente.

Veja Também

Próxima de defesa de cinturão, ‘Bate-Estaca’ mostra foco em vitória: ‘Quero provar que sou a campeã’
Jon Jones consola Cormier após falecimento de padrasto do rival: ‘Continue deixando-o orgulhoso’
Bisping afirma que McGregor seria coadjuvante em trilogia com Nate Diaz

“A maior diferença agora é que aumentei a minha experiência e entendo mais sobre a luta. A minha maior mudança seria não subestimar o Stipe (Miocic) como antes. A diferença seria como me preparar para o combate e depois como preparar o meu corpo no campo de treinamento, como um desafiante. Como preparar tudo em comparação com a primeira vez”, declarou o gigante.

Francis fez questão de criticar sua atuação ocorrida em 2018, na luta principal do UFC 220, quando lutou pelo título pela primeira vez em sua carreira desde que integrou o grupo de atletas do Ultimate. Para o atleta, sua performance não condiz com o lutador que é hoje e que aprendeu com o erro.

“Mais uma vez, a primeira luta foi uma confusão. Eu não sabia o que estava fazendo lá. Ajudou-me a compreender muitas coisas. Ajudou-me a aprender. A saber como as coisas funcionam”, contou o peso pesado.

Apesar de viver um ótimo momento em uma das categorias mais difíceis e instáveis da organização, o atleta não tem a garantia de que será o próximo combatente a dividir o octógono com Stipe Miocic. O impasse se dá pelo fato de existir a possibilidade de acontecer uma revanche entre Stipe e Cormier, que se enfrentaram no último dia 17, no UFC 241, quando Miocic recuperou seu posto de número um, perdido em julho do ano passado.

À diretoria do Ultimate, seria interessante e rentável uma terceira luta entre os atletas, o que colocaria Ngannou em uma condição de espera. O franco-camaronês falou sobre a possibilidade de um terceiro embate entre atletas.

“Minha preocupação não é que Daniel Cormier tenha uma trilogia. Eles podem ter uma trilogia, uma quadrilogia ou uma quintologia, o que quiserem. Minha preocupação é apenas sobre minha vez, sobre minha luta pelo título. Eu posso enfrentar o Stipe e, depois, eles lutam entre eles. Eu não tenho nenhum problema com isso. Meu único problema é eu lutar pelo título. Eu mereço”, desabafou o gigante.

A última vez em que Francis realizou um combate oficial aconteceu julho deste ano, quando o atleta desbancou com facilidade o ex-campeão Júnior Cigano. Anulando o ótimo boxe do brasileiro e promovendo mais um nocaute na carreira de Ngannou. Com o triunfo sobre o catarinense, o franco-camaronês somou sua terceira vitória em sequência, e se colocou segundo lugar no ranking da categoria, atrás apenas de Stipe (campeão) e Daniel (primeiro colocado).

Atualmente, Francis tem 32 anos e soma 17 combates profissionais, com 14 triunfos e três reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário