Após título do BRAVE, Predador sonha alto: ‘Quero ser tricampeão’

Lutador, que faturou o cinturão peso leve do evento, mira em títulos nas divisões de superleves e meio-médios

Predador com o cinturão do BRAVE. Foto: Divulgação

Menos de 24 horas após a rápida finalização sobre Luan Miau, Cleiton Predador já colocou na mesa suas próximas cartadas dentro do BRAVE. O peso leve mineiro, que faturou o cinturão peso leve do show, quer disputar mais cinturões nos próximos meses.

Veja Também

Cleiton Predador finaliza Luan Miau e é coroado campeão do BRAVE; Matheus Nicolau vence mais uma
Jéssica Bate-Estaca mira em revanche contra Weili Zhang: ‘Pode ser até na China’
VÍDEO: Assista o nocaute sofrido por Jéssica Bate-Estaca no UFC Shenzhen

Cleiton parece ter fechado um capítulo da rivalidade com Luan Miau ao dizer que pretende subir para o Superleve, e “se derem mole”, tentar a sorte nos meio-médios. Aos 33 anos, o Predador é o campeão mais velho da história do BRAVE, nada que o desanime de buscar objetivos cada vez mais ambiciosos.

“Cara, a idade é só um número. Eu estou muito feliz de finalmente ter conquistado meu espaço na história e ter cravado meu nome no mundo do MMA. Eu sou campeão do mundo! E pelo BRAVE CF! Mas eu tenho mais planos. Quero subir pro superleve e pegar o cinturão de lá. Se derem mole, eu ainda vou pro meio-médio. Não me importo com o que falam, pois fora de Belo Horizonte, ninguém acreditava em mim contra o “Miau””, declarou o novo campeão, que ainda disse que sua “fome de ouro” se estenderia às categorias mais leves se fosse possível.

“Eu estou com essa febre, essa fome de título, de ouro. Se eu pudesse lutar sem perna, iria para os penas também (risos). Eu adoro provar que as pessoas estão erradas e mal posso esperar para continuar fazendo isso”, sentenciou o Predador.

A rivalidade entre Cleiton e Luan foi o ponto alto do retorno do BRAVE Combat Federation ao Brasil, que ocorreu com máximo sucesso na última sexta-feira (30), na Arena Minas Tênis Clube praticamente lotada. Foi a quarta vez que o evento fundado no Bahrein veio ao Brasil nos últimos três anos.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário