Técnico de Bate-Estaca explica derrota de pupila: ‘Quis provar a críticos que estavam errados’

Gilliard Paraná confirma euforia de brasileira ao tentar aplicar nocaute em Weili Zhang; ímpeto resultou na derrota da atleta

J. Andrade (esq.) e W. Zhang (dir.) em primeira encarada para o UFC Shenzhen. Foto: Reprodução/YouTube UFC

No último final de semana, os entusiastas de MMA puderam acompanhar a queda da ex-campeã das palhas (até 52,1kg.), Jéssica Andrade. A atleta sucumbiu à força da chinesa Weili Zhang e acabou perdendo o cinturão na luta principal do UFC Shenzhen. Gilliard Paraná, treinador da brasileira, afirmou que ‘Bate-Estaca’ quis calar os críticos ao tentar ampliar o nocaute na oponente e acabou fugindo a estratégia traçada. A declaração foi feita ao ‘MMA Fighting’.

Veja Também

Dana fala sobre nova luta de Nate Diaz: ‘Talvez não o vejamos pelos próximos três anos’
Após briga na rua, Dana White aposenta BJ Penn no UFC: ‘Não luta mais aqui’
Vindo de derrota, Pantoja volta ao octógono contra Matt Schnell, em dezembro, diz site

“Ela estava nessa euforia de tentar nocautear a garota. Muitas pessoas tinham dito que ela teve sorte contra a Rose (Namajunas) e ‘blá,blá,blá’. Eu acho que isso mexeu um pouco com a cabeça dela”, disse Paraná.

Para o técnico, ‘Bate-Estaca deveria ter se mantido tranquila e seguido à risca aquilo que foi trabalhado para o combate contra a chinesa. Segundo Gilliard, o plano estava muito claro para Jéssica, já que foi executado contra outras adversárias no passado.

“Ela não seguiu a estratégia que traçamos. Nosso plano funcionou muitas vezes antes e poderia funcionar contra Weili Zhang também. No entanto, na trocação é como uma loteria, uma mão pode entrar e você vai cair”, comentou o treinador.

Com a derrota, Andrade terá que reencontrar o caminho das vitórias e promover uma sequência de triunfos, caso deseje disputar o título novamente. Paraná, na mesma entrevista, sugeriu uma adversária para um novo recomeço. O técnico disse que uma peleja contra Nina Ansaroff, que esteve a uma vitória de se tornar uma adversária em potencial pelo título, seria interessante para um novo início.

Atualmente, ‘Bate-Estaca’ tem 27 anos, e soma 27 combates profissionais em sua carreira no MMA. A atleta tem 20 triunfos e sete reveses. Mesmo com a pouca idade, Andrade é reconhecida como a primeira mulher brasileira a calçar as luvas do Ultimate. Sua estreia pela organização aconteceu em julho de 2013.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments