Dillashaw fala em recuperar cinturão após cumprir suspensão por doping: ‘É algo que eu quero de volta’

Atleta, que ficará afastado do MMA por dois anos, afirmou que ainda tem desejo de se provar como o melhor e ainda fez críticas a Henry Cejudo, seu último algoz

afirma que quer voltar a ser campeão do UFC. Foto: Reprodução/Instagram @tjdillashaw

Uma das maiores polêmicas recentes envolvendo um campeão do Ultimate certamente foi a acusação de doping sobre o ex-dono do título dos galos (até 62,2kg.), TJ Dillashaw. Após comprovada a culpa, o atleta foi suspenso das lutas profissionais e perdeu seu posto de número um. Com retorno previsto para 2021, o norte-americano revelou, em entrevista recente a Chael Sonnen, que ainda pretende recuperar seu título no futuro e fez críticas a Henry Cejudo, seu último algoz e atual dono de seu antigo cinturão.

Veja Também

Técnico de Marreta afirma que Jon Jones seria mais cauteloso em revanche contra brasileiro
Rogério Minotouro tem lesão detectada e está fora do UFC São Paulo, diz site
Lyoto afirma que preferiu enfrentar Mousasi a aguardar o campeão Rafael Lovato, lesionado

“É algo que eu quero de volta. Não é por causa de suas provocações (Cejudo) ou pela maneira com que ele me trata. É apenas algo que queima dentro de mim para recuperar meu título de volta. Para voltar para onde eu tenho que estar e deixar todo o que tem acontecido para trás”, disse TJ.

O lutador afirma que ainda tem muito a entregar para o esporte. Segundo o ex-campeão, existe algo em seu interior que o faz propício para o MMA. O atleta também fala que existem alguns rivais que continuarão para sempre sendo seus inimigos, como é o caso de Cejudo.

“Eu, definitivamente, tenho alguma animosidade incrustrada dentro de mim, no esporte e em tudo. Eu tenho alguns inimigos que continuarão a ser meus inimigos para o resto da minha vida. Eu não digo isso porque Henry é um falador. É mais pela maneira com que ele tem se carregado” disparou Dillashaw.

Sem poder atuar por mais um ano e meio, aproximadamente, TJ afirma que não tem se dedicado à preparação física. A suspensão acabou sendo, de certa forma, favorável, pois possibilitou ao atleta realizar duas cirurgias nos ombros para consertar problemas passados.

“Eu não tenho feito nenhum tipo de treino. Agora, estou voltando à forma. Eu finalmente voltei a correr. Eu tenho trabalhado minhas pernas, coisas assim, mas quando se trata do lado das artes marciais, eu ainda não tive a chance de fazer nada”, finalizou o atleta.

Quando a punição acabar, Dillashaw estará próximo aos 35 anos. O atleta soma em seu cartel oficial 20 lutas, com 16 vitórias e quatro derrotas. A última, em duelo ocorrido contra Henry Cejudo, em janeiro deste ano, quando o norte-americano desceu dos galos para tentar, nos moscas, seu segundo título pelo UFC.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments