Médico que interrompeu luta entre Diaz e Masvidal confirma ameaças após decisão: ‘Temo pela minha segurança’

Nitin K. Sethi diz que vem sofrendo as consequências por ter impedido que Nate continuasse no combate após ferimento profundo no supercílio

Diaz (esq.) ficou com o olho deformado na luta contra Masvidal (dir.). Foto: Reprodução / Facebook ufc

O final inesperado da luta principal do UFC 244 ainda tem dado o que falar, mas não de um jeito positivo. O médico responsável pela interrupção do combate na virada do terceiro para o quarto round, Nitin K. Sethi, afirmou que foi ameaçado de morte após a decisão que colocou fim na luta principal da noite. Em entrevista ao ‘MMA Fighting’ o neurologista falou sobre a situação.

Saiba mais

Após derrota no UFC 244, Nate Diaz recebe três meses de suspensão médica
Romero pode ter chance de enfrentar Adesanya, mas Dana afirma: ‘Tem que vencer uma luta antes’
Dois dias após bater Arlovski, Jairzinho Rozenstruik substitui Walt Harris e enfrenta Overeem, em dezembro

“Sou um ótimo neurologista e um médico muito bom. Me xingaram na internet, ligaram para o meu consultório e xingaram as pessoas. Me fizeram ameaças de morte”, afirmou o profissional.

Nitin ainda confessou que está com medo da repercussão negativa que teve ao tomar a decisão que tinha como prioridade manter a integridade física de Diaz, que visivelmente tinha um ferimento profundo acima do olho direito.

“Temo pela minha segurança. Alguém pode se machucar com tudo isso, e provavelmente serei eu. As pessoas não se dão conta do que estão fazendo quando agem assim. Essa é a dura realidade do MMA. É uma vergonha que esse tipo de coisa aconteça. Todos que estão envolvidos com esse esporte deveriam se sentir envergonhados por situações como essa. Não deveriam acontecer coisas assim no MMA. Nunca passei por isso, e já atuei em muitos esportes. As pessoas estão muito exaltadas, e esse tipo de coisa só as exalta ainda mais. No caminho para os bastidores, vi pessoas me xingando com muita raiva” confessou Sethi.

Durante os três rounds disputados, era visível a superioridade de Jorge sobre seu oponente. Com golpes contundentes, a região afetada em Nate acabou se tornando um alvo em que Masvidal desferia a maioria de seus ataques. Por isso, tentando evitar um dano maior, o médico optou por impedir que o norte-americano seguisse atuando.

“Tomei uma decisão objetiva baseada no exame que fiz do lutador. Não foi apenas o corte, mas uma análise geral dele e de como a luta estava se desenvolvendo. A partir do momento em que percebi que não poderia garantir sua segurança e sua saúde, tive que tomar a decisão”, confirmou.

Mesmo com o incidente, o doutor afirmou que não se arrepende da atitude tomada. Segundo ele, existe um padrão de trabalho que não será alterado, independente do desgosto de alguma parte, seja ela quem for.

“Se, em algum momento, eu perder a minha objetividade e passar a me preocupar em como as minhas decisões serão vistas pelo UFC, pelos fãs e pela imprensa, eu deixo de ser o médico da luta e abandono a minha carreira. A saúde dele vem em primeiro lugar”, finalizou.

O presidente da empresa, Dana White, em coletiva após o espetáculo afirmou que, em um primeiro momento, também ficou irritado com a decisão de Sethi. No entanto, segundo o mandatário, depois que foi ao vestiário para ver Nate, concordou com a atitude do neurologista.

Nesta terça-feira, foram divulgadas as suspensões médicas obtidas após o UFC 244. O norte-americano, junto com mais seis atletas, foi o que teve o maior período de afastamento. Ele ficará fora de ação por 90 dias.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário