Gina Carano acusa Dana White de ‘sabotar’ luta contra Ronda Rousey

Norte-americana revela contrato para encarar lenda do MMA, em 2014, mas confronto nunca ocorreu por descumprimento de acordo por parte do presidente

G. Carano (esq.) afirma que D. White sabotou luta contra R. Rousey (dir.) Foto: Montagem/ MMA Press

Quem é apaixonado por MMA há pouco tempo, dificilmente saberá quem é Gina Carano. No entanto, para quem acompanha o esporte por mais anos, sabe da importância da atleta para as mulheres nas artes marciais mistas. O que poucos sabem é que a atleta esteve próxima de realizar um confronto contra Ronda Rousey, lenda do esporte, em 2014, quando a estrela ainda figurava como um dos nomes mais importantes da organização. O combate, no entanto, nunca ocorreu por culpa de Dana White, presidente do Ultimate. Em entrevista a Ariel Helwani, repórter da ‘ESPN’, a ex-lutadora explicou sobre a situação.

Veja Também

Amanda Ribas enfrenta ‘queridinha’ do Ultimate no UFC Brasília, diz site
Invicto no UFC, Rogério Bontorin enfrenta Ray Borg no UFC Rio Rancho, em fevereiro
Khabib assina contrato e duelo contra Ferguson está próximo de ser anunciado para abril

“Quando Ronda Rousey se tornou popular, eu me lembro de eles me ligarem para uma reunião, então, eu fui a um restaurante e lá estavam Lorenzo Fertitta e Dana White (sócios da organização). Os dois pareciam dois caras musculosos sentados em uma mesa em Hollywood. Me lembro que perguntei: ‘Por que demoraram tanto (para convidarem)?’, contou Carano.

Gina explicou que, naquela reunião foram esclarecidos termos para que o combate pudesse ocorrer. No entanto, mesmo Carano sendo uma atleta de nível e tendo sido derrotada em sua última apresentação, a norte-americana não lutava há quase cinco anos, e precisaria de um tempo e de uma equipe para treiná-la.

“Eles me disseram: ‘Olha, nós queremos te oferecer US$1 milhão para aceitar a luta contra Ronda Rousey’. Eu disse: ‘Isso é incrível, mas eu preciso que vocês me façam um favor, porque eu venho trabalhando no cinema, não tenho treinado e nem tenho uma equipe. Então, vocês têm que me dar um tempo para montar um time’. Montar uma equipe não é fácil, como todos os lutadores sabem”, contou.

Após a conversa, Gina saiu da reunião motivada e pediu que os dirigentes não expusessem as questões pautadas ao público. Segundo a lutadora, a conversa foi finalizada em comum acordo entre todas as partes. Então, restava apenas a Carano encontrar sua equipe e dar início ao seu treinamento até que chegasse o momento de anunciar o confronto.

Tudo caminharia bem, caso Dana White tivesse cumprido sua parte nas negociações. Segundo a norte-americana, um dia depois de acertarem os termos, o presidente foi a público e revelou que a combatente não tinha equipe, descumprindo o que havia sido combinado.

“No dia seguinte, Dana estava lá falando sobre mim, falando sobre o meu nome e dizendo às pessoas que ele ia me contratar e que eu ainda não tenho uma equipe. E eu pensei: ‘Não foi isso que combinamos. Você deveria me dar pelo menos seis meses para encontrar uma equipe. Então, ele começou a tentar fazer pressão através da mídia”, revelou a lutadora.

Após a confusão, a situação acabou ficando insustentável, já que a relação de Gina com o presidente apenas piorou. O combate, que poderia ter sido um dos maiores e mais rentáveis do MMA feminino, acabou nunca acontecendo.

Carano nunca chegou a se apresentar pelo UFC e não retornou à ativa nas artes marciais mistas. A lutadora, em sua carreira como profissional no MMA, realizou oito apresentações, perdendo apenas uma, quando encarou Cris Cyborg, em 2009, pelo título do extinto ‘Strikeforce’.

Hoje, aos 37 anos, Gina dedica seu tempo a atuar em filmes de Hollywood. Entre as aparições da atleta contam películas como Velozes e Furiosos 6 (2016) e Deadpool (2016).

Ronda perdeu seu cinturão em 2015, quando tentava realizar sua oitava defesa de título. A atleta foi batida por Holly Holm em um nocaute histórico, que marcou a decadência da lenda.

A norte-americana tentou recuperar seu título em 2016, quando encarou Amanda Nunes, que já figurava como número um da categoria das galos (até 65,7kg.). Novamente, a loira não teve sucesso, e foi brutalmente batida pela brasileira, decretando a aposentadoria da ex-campeã após 14 lutas e dois reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments