Gaethje vê McGregor como ‘passaporte’ para chegar a Khabib: ‘Estou tentando enfrentá-lo’

Norte-americano insiste em combate contra irlandês, atual número três do ranking, mas empaca em desejo do ‘Notório’ em enfrentar Cerrone

D. Gaethje (foto) posa com bandeira dos EUA. Foto: Reprodução/Instagram @justin_gaethje

Em 2019, Justin Gaethje conseguiu se firmar como um dos desafiantes mais perigosos da categoria dos leves (até 70,3kg.). Após vitórias convincentes sobre Edson Barboza e Donald Cerrone, o norte-americano, agora, quer se aproximar da disputa pelo cinturão, que pertence a Khabib Nurmagomedov. Para isso, o atleta insiste em pedir um duelo contra Conor McGregor, a quem considera um ‘passaporte’ para o topo. Em entrevista ao podcast de Michael Bisping, ‘Belive You Me’, o atleta explicou os motivos por querer encarar o irlandês.

Saiba mais

Marcos Pezão encara Ben Sosoli no UFC Auckland, em fevereiro
Vídeo: Belfort mostra grande forma física em preparação para retorno ao MMA
Walt Harris se manifesta após morte de enteada: ‘Eu só quero você de volta’

“Eu sou o número quatro (no ranking). Acabei de vencer o quarto colocado, o que me colocou nessa posição. Conor é o número três. Quando fiz minha última luta, tive a impressão de que ele estava aposentado, pois era isso o que parecia. Depois, ele disse que ia voltar. Acho que o caminho mais fácil e seguro para chegar a Khabib é através do Conor”, afirmou Justin.

O desejo de enfrentar o ‘Notório’ aumentou quando o ex-campeão dos penas (até 65,7kg.) e leves (até 70,3kg.) afirmou, em coletiva recente, que voltaria ao octógono no dia 18 de janeiro, contra um oponente ainda não revelado. O fato instigou o norte-americano, que voltou a insistir no duelo contra o irlandês.

Os planos de McGregor, no entanto, parecem ser outros. Segundo a equipe do atleta, existe uma negociação em andamento para que Conor lute contra Donald Cerrone na data estipulada, o que contraria a vontade de Gaethje, já que o ‘Cowboy’ foi duramente batido pelo lutador recentemente.

“Ele começou a dizer que vai lutar no dia 18 de janeiro e então ele começa a chamar Donald Cerrone. Então é neste pé que estamos agora. Até onde eu ouvi dizer, nada foi assinado. ‘Cowboy’ está mandando mensagens de texto para Dana (White) perguntando se é verdade. Eu só estou sentado aqui treinando”, afirmou o norte-americano.

Depois de bater Cerrone, Gaethje mostrou humildade ao afirmar que não sabia se conseguiria bater Nurmagomedov. Porém, o disse que não gostaria que sua carreira chegasse ao fim sem ao menos tentar bater o russo, que, a cada luta, tem se consolidado como uma lenda do esporte, se mantendo invicto desde que estreou como profissional no MMA, há 28 apresentações.

“Khabib declarou publicamente que não tem muitas lutas (para se aposentar), então, eu tenho que lutar com ele antes que ele vá embora. Eu não posso deixá-lo ir invicto sem, pelo menos, ser capaz de testá-lo. Eu me considero um dos pesos leves mais perigosos do mundo. Trago coisas diferentes com as quais Khabib não teve que lidar necessariamente. Eu tenho um poder absurdo em minhas pernas, braços e mãos e sou muito bom na luta agarrada. Super atlético, tenho lutado tanto quanto ele. Ninguém lutou tanto quanto ele, exceto eu”, afirmou Justin.

Aos 31 anos, Gaethje já se apresentou 23 vezes como lutador profissional. O lutador venceu em 21 oportunidades e foi derrotado em duas. Seu último revés aconteceu em abril do ano passado, quando foi batido pelo ex-campeão interino, Dustin Poirier, na luta principal do UFC Glendale.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário