Escalado para enfrentar Pettis, Diego Ferreira mostra ansiedade para maior luta da carreira

Brasileiro encara ex-campeão dos leves no UFC 246 e confirma concentração total para encarar ícone do MMA

Carlos Diego encara Anthony Pettis no UFC 246. Foto: Twitter / UFC Brasil

No evento que marca o retorno de Conor McGregor ao octógono, um brasileiro viverá o maior desafio da sua carreira no MMA até o momento. Pelo UFC 246, que acontece em 18 de janeiro, Diego Ferreira trocará forças com o ex-campeão dos leves (até 70,3kg.), Anthony Pettis. Vindo de cinco vitórias consecutivas, o amazonense não esconde a ansiedade para enfrentar um ícone do Ultimate sob a possibilidade de entrar de vez no ranking da divisão. Em entrevista ao MMA Fighting, Diego falou sobre a expectativa para a batalha.

Veja Também

Tyron Woodley aceita desafio de Leon Edwards: ‘Agora, você está ferrado’
Frankie Edgar recebe suspensão médica de seis meses após derrota no UFC Busan
Conor McGregor presenteia família com Lamborghini de R$800 mil

“Eu acho que é uma boa luta para mim. Eu chego como ‘azarão’, mas sei o que ele vai fazer em pé ou no chão. Vou lá para lutar. Não posso dizer nada diferente. Estou focado, então, vamos lá”, afirmou Ferreira.

Contra Anthony, o brasileiro terá a oportunidade de confirmar a boa fase na carreira e manter a invencibilidade, que já dura quase cinco anos. Por isso, o peso de enfrentar um grande oponente e a chance de entrar de vez no radar do UFC para a escalada na categoria mantém a concentração de Diego.

“Eu penso nessa luta 24 horas por dia. Penso nas formas que posso vencê-lo. Não consigo parar de pensar no que eu tenho que fazer, no que posso fazer e no que posso tentar”, afirmou o atleta.

Ferreira, no entanto, mostrou sinceridade ao afirmar como imagina o combate terminando. O atleta não prevê, a princípio, um nocaute ou finalização. Na ideia de Diego, os atletas irão duelar até o fim do terceiro round.

“Eu acho que vai para a decisão dos juízes. Vai ser uma luta divertida para os fãs. Nós vamos rivalizar lá dentro (do octógono). Não sei como vou vencê-lo, mas estou pronto para fazer isso”, finalizou o atleta.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário