Líder da ATT confirma ‘tolerância zero’ para provocações de Colby Covington a companheiros de equipe

Dan Lambert diz que ‘bad boy’ está proibido de criar confusões na academia, a menos que tinha que enfrentar um dos atletas

C. Covington (foto) está proibido de provocar companheiros de equipe. Foto: Reprodução/Instagram @colbycovmma

Conhecido por não ter papas na língua e provocar qualquer possível oponente, Colby Covington, agora, terá as rédeas encurtadas dentro da ATT (American Top Team). Segundo o líder da academia, Dan Lambert, o norte-americano está oficialmente proibido de provocar companheiros de equipe, a menos que o meio-médio (até 77kg.) tenha compromisso marcado para enfrentar o rival pelo UFC. A medida foi tomada a fim de manter a boa convivência dentro do espaço de treinamentos. A declaração foi feita em entrevista ao ‘MMA Fighting’.

Veja Também

Ícones do MMA, McGregor e Jon Jones mandam mensagem de apoio no período de isolamento
Com eventos adiados por conta do COVID-19, lutadores relatam dificuldades financeiras e de treinamentos
Lutadores do BRAVE fazem campanha de conscientização contra o coronavírus

“Ficou pessoal, e acho que estava errado. Acho que cometi um erro. Acho que devia ter cortado o problema na na raiz, e chegou ao ponto de ser afetar os treinadores, os parceiros de treino, as vibrações no ginásio e, como resultado, decidirmos ajustar isso e criamos uma nova política”, disse Lambert.

Dan, no entanto, entende que existem exceções para que o famoso ‘trash-talk’ possa acontecer. Porém, em se tratando de Covington, é necessário que algumas medidas sejam tomadas para que o ‘falastrão’ não extrapole os limites aceitáveis de convivência.

“A menos que você tenha um acordo para lutar contra alguém, caso em que obviamente precisa haver alguma promoção, há uma ordem de mordaça para falar sobre as pessoas no ginásio. Se isso é algo que um lutador escolhe que precisa fazer, então, eles têm que ir para outro lugar”, explicou o líder da ATT.

No último ano, Colby se envolveu em polêmicas com Jorge Masvidal e Dustin Poirier, da American Top Team, e a ação acabou, segundo Dan, influenciando na rotina da academia. Lambert, então, comentou a situação vivida entre o Covington e o ‘Diamante’, que o levaram a tomar a atitude de proibir as provocações.

“Não sei se foi esta última rodada de conversa onde Colby violou uma trégua que tive entre ele e (Dustin) Poirier, ou alguma da conversa entre ele e Joanna (Jedrzejczyk). Pode ser apenas o grande esquema das coisas, lidar com alguns dos outros problemas que afetam o nosso desporto e a vida de toda a gente. Vejo como algumas destas mer*** são mesquinhas, e por que tenho que lidar com elas e (tenho) permitido que se tornem uma realidade?”, questionou Dan.

Por fim, Lambert deu o ultimato a Colby e garantiu que não irá permitir que as atitudes se repitam dentro de sua academia.

“Eu não acho que haja opções . É uma política de tolerância zero absoluta. Se quebrar a regra, vai para outro lugar. As pessoas vêm, as pessoas vão. Nenhum indivíduo é maior que a equipe, e o fato é que a equipe vai estar aqui daqui a 30 anos, ainda fazendo a mesma coisa quando certos indivíduos já se foram há muito tempo. Vamos montar algo que seja o melhor para o ambiente do ginásio e para as pessoas do ginásio hoje e amanhã”, finalizou.

Atualmente, Covington é um dos principais atletas entre os meio-médios do UFC. O atleta disputou o cinturão da categoria em dezembro do ano passado, quando foi derrotado por Kamaru Usman.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário