‘Preso’ na Rússia por fechamento de fronteiras, Khabib Nurmagomedov não garante presença no UFC 249

Por conta da proibição em deixar o país em consequência do coronavírus, campeão dos leves coloca em xeque disputa de cinturão em 18 de abril

K. Nurmagomedov coloca em xeque sua presença no UFC 249. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

Uma nova notícia colocou em xeque a disputa de cinturão marcada para acontecer em 18 de abril. Um dos protagonistas do UFC 249, Khabib Nurmagomedov afirmou que o evento deve ocorrer sem sua presença, pelo fato de estar na Rússia e as fronteiras estarem fechadas para voos em função do coronavírus (COVID-19). A declaração foi feita em entrevista ao ‘RT Sports’.

Veja Também

VÍDEO: Treinando sozinho, McGregor mostra habilidade no Boxe: ‘A precisão supera a potência…’
Carateca Douglas Brose sobre adiamento das Olimpíadas: ‘Tiveram bom senso’
Onde será realizado o UFC 249? Veja as apostas para sede do evento

“Tenho ouvido que o evento irá acontecer, com ou sem a minha presença. Vão em frente. Todos temos que seguir as leis. Não sou contra isso, e sei que os lutadores têm que alimentar suas famílias e pagar suas contas. Sei como é dura a vida de um lutador. Quem não luta, não ganha dinheiro. Ouvi que estão procurando um adversário para Tony (Ferguson), porque ele está nos EUA e eu estou na Rússia. Mas não estou aqui porque eu quero”, disse o russo.

O campeão dos leves colocou a responsabilidade do impasse em uma falta de transparência entre sua equipe e a diretoria do Ultimate, que ainda trabalha para oficializar o novo local para sua luta contra o norte-americano. A batalha inicialmente estava marcada para acontecer em Nova York, no entanto, por medidas adotadas pelo governo do estado como para minimizar a possibilidade de contágio da doença que assusta o mundo, o espetáculo foi previamente proibido no local.

“O UFC me garantiu que a luta não aconteceria nos EUA, e mesmo que não aconteça nos Emirados Árabes, ela vai acontecer deste lado do Atlântico. Nós discutimos tudo com o UFC. Naquele momento, eu já havia feito cinco semanas de treinos na AKA (American Kickboxing Academy). Hoje, eu não sei o que está acontecendo. É muito difícil treinar e cortar peso quando o mundo todo está parado e você não sabe para que está se preparando. Mas essa não é a primeira vez que tenho dificuldades na minha carreira”, disse Nurmagomedov.

Segundo o campeão, ao saber que a disputa provavelmente aconteceria fora dos Estados Unidos, ele, que estava em território norte-americano, seguiu com sua equipe para finalizar seu treinamento em seu país de origem. No entanto, a Rússia acabou adotando a postura de fechar suas fronteiras para evitar a circulação de um grande número de pessoas estrangeiras.

“Nós estávamos treinando na AKA sem qualquer informação sobre onde e como a luta aconteceria. Depois o UFC nos disse que a luta definitivamente não aconteceria nos EUA, e que havia 99% de chances que acontecesse em Abu Dhabi. Após essa conversa, decidimos voar para os Emirados Árabes um mês antes do evento. Não me lembro a data exata, 19 ou 20 de março. Porém, quando chegamos lá, descobrimos que eles iriam fechar as fronteiras, e ninguém poderia entrar ou sair de lá, a não ser os residentes no país. Tivemos que sair de lá. Hoje, eu estou no Daguestão, treinando e me preparando diariamente, mesmo sem saber para que, porque as fronteiras russas também estão fechadas, da mesma forma que nos Emirados, nos EUA, na Europa e em todo lugar. O mundo todo está em quarentena agora”, finalizou o ‘Águia’.

O Ultimate segue com a política de não revelar ao público o novo local para a realização do UFC 249. Na última semana, o presidente da organização, Dana White, afirmou que ele e sua equipe já haviam decidido um novo lugar para fazer o espetáculo, no entanto, não seria divulgado, naquele momento, à mídia e aos fãs.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments