Dominick Cruz se diz pronto para substituir José Aldo, caso brasileiro não lute no UFC 250

Ex-campeão dos galos afirma que pode disputar cinturão contra norte-americano se manauara não puder viajar em meio à pandemia

D. Cruz não luta desde dezembro de 2016. Foto: Reprodução/Instagram @dominickcruz

Depois da confirmação de que o Ginásio do Ibirapuera (São Paulo) será utilizado como centro de atendimento às vítimas do coronavírus (COVID-19), a possibilidade do UFC 250, marcado para 9 de maio, ser retirado do Brasil ganhou mais forças. O espetáculo, então, deve ser transferido para os Estados Unidos e, pensando na possibilidade de José Aldo não poder viajar para o novo local, Dominick Cruz já manifestou o interesse de substituir o manauara na disputa do título dos galos (até 61,2kg.) contra Henry Cejudo.

Veja Também

Valentina Shevchenko publica vídeo lutando aos 14 anos contra adversária mais velha
UFC cria lista de precauções para realizar eventos durante a pandemia
Homem invade a casa de Anthony Smith e atleta revela drama em luta corporal: ‘Combate mais difícil da vida’

“Agora, ele (Dana White) está dizendo que (José) Aldo pode não estar apto a lutar. (Petr) Yan pode não estar apto, e, agora, o mundo do MMA pode saber que essa luta é uma possibilidade de verdade. São situações reais, e, uma vez que não possam acontecer, abrem um espaço para eu entrar lá. Eu sempre pegaria uma luta pelo título. E, realisticamente, com Aldo e Yan fora, e surgindo esta oportunidade, por que não aceitaria? Isso é o que venho pedindo há muito tempo”, afirmou Cruz, em entrevista à ‘ESPN’.

O Ultimate ainda não comunicou oficialmente sobre o destino do UFC 250. Até o momento, o brasileiro segue confirmado como desafiante ao cinturão de Cejudo. No entanto, na última semana, o norte-americano publicou um desafio direto a Dominick em suas redes sociais, pedindo que o atleta se prepare para uma possível substituição.

Na última terça-feira (7), o ‘New York Times’ divulgou que a diretoria do UFC alugou um resort em uma reserva indígena e afirmou que o Ultimate levará os próximos cards para o local.

A informação ainda não foi confirmada pela organização, no entanto, é possível que o espaço, que fica na Califórnia (EUA) seja, de fato, a sede para os shows de MMA até que a situação relacionada à pandemia seja controlada.

Cruz não atua pelo Ultimate desde que perdeu o título da divisão para Cody Garbrandt, em 2016. Pela inatividade na organização, hoje, o combatente sequer figura no ranking oficial da categoria.

Além da disputa do título dos galos, a campeã Amanda Nunes está escalada para realizar sua primeira defesa do título das penas (até 65,7kg.). A baiana, até o momento, tem compromisso marcado contra Felicia Spencer e busca manter um de seus dois cinturões na organização.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments