Homem invade a casa de Anthony Smith e atleta revela drama em luta corporal: ‘Combate mais difícil da vida’

Meio-pesado do UFC admite ter vivido momentos de tensão após enfrentar criminoso nos Estados Unidos

A. Smith (foto) enfrenta G. Teixeira em 25 de abril. Foto: Reprodução/Instagram @lionheartasmith

Em meio às preocupações com a pandemia do coronavírus (COVID-19), o meio-pesado (até 93kg.) do Ultimate, Anthony Smith, teve de lidar com outro problema. O atleta acabou surpreendido com um homem que invadiu sua casa, em Nebraska (EUA), na madruga do último domingo (5) e, para se proteger, o combatente revelou momentos de tensão ao entrar em luta corporal com o suspeito.

Veja Também

Ginásio do Ibirapuera vai ser utilizado como base hospitalar e UFC 250 deixa São Paulo
UFC 249 vai acontecer em reserva indígena nos EUA, diz site
EA Sports UFC 4 pode ser a grande novidade de 2020 para os fãs de luta

”Minha esposa me acordou dizendo que havia alguém na casa. Então eu me levantei e ouvi a voz de um homem gritando de algum lugar no escuro. Eu nunca ouvi uma pessoa gritar daquele jeito. Estava escuro e estava assustador”, disse Smith em entrevista ao ‘MMA Fighting’.

Anthony, então, narrou os momentos que precederam o combate corporal. Na intenção de expulsar o suspeito, o atleta deixou o quarto e partiu em busca do invasor.

“Eu tinha que saber do que se tratava. Eu fui lá e encontrei um homem estranho parado na sala de computador. Ele estava a uns 15 metros de mim. Ele meio que estava se flexionando e começou a caminhar em minha direção, gritando. Então, eu decidi encará-lo. Foi aí que o caos começou”, contou o meio-pesado.

Smith afirmou que imaginou que o homem estaria armado, então, precisaria machucá-lo o máximo possível, para que pudesse proteger sua família de possíveis agressões.

“Eu estava certo que haveria um disparo de arma de fogo, então eu precisaria fazer o máximo de estrago possível, caso eu fosse morrer. Isso parece idiota agora, mas, naquele momento, era como eu me sentia”, afirmou o norte-americano.

Ao falar sobre o confronto contra o invasor, Anthony se disse surpreso com a capacidade de absorção de golpes do homem, que, segundo ele, resistiu a um duro castigo.

“Eu estava impressionado como ele foi capaz de absorver o castigo. Sinceramente, eu não me importo. Eu estava tentando quebrar seu crânio. Cotoveladas, socos e joelhadas, como se eu fosse (Quinton) Rampage Jackson. Eu fiz tudo o que eu podia até que percebi que ele não tinha uma arma, foi aí que eu diminuí o ritmo. Durante os primeiros minutos, eu dei tudo de mim e ele estava consciente no fim. Ele me enfrentou o tempo todo. Nunca parou”, relatou Smith.

Momentos depois da briga, a polícia chegou ao local e prendeu o suspeito. Assim, Anthony pôde, enfim, ficar tranquilo e pensar sobre o ocorrido.

Depois do susto, o norte-americano se prepara para enfrentar Glover Teixeira no octógono em evento marcado para 25 de abril. Inicialmente, o card aconteceria em Lincoln, mas, em função da pandemia do coronavírus, o evento deve ser transferido para outro local.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments