Elizeu Capoeira fala sobre expectativa de enfrentar Muslim Salikhov: ‘Trocação frenética’

Brasileiro evita arriscar resultado, mas mostra empolgação para desafio que acontece em 11 de julho, no maior card do ano, até o momento

O brasileiro Elizeu Capoeira está próximo de sua 11ª luta desde sua estreia pelo Ultimate. Em 11 de julho, no UFC 251, o atleta terá o duro desafio de encarar o perigoso Muslim Salikhov, no espetáculo que marcará o primeiro card realizado na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi. Em entrevista exclusiva ao canal no YouTube do SUPER LUTAS, o paranaense comentou a expectativa para o novo desafio.

Veja Também

Durinho relata ‘climão’ ao encontrar Usman em academia antes do UFC 251: ’Foi estranho’
Ex-parceiro de treino de Durinho, Usman muda de academia antes do UFC 251
Vindo de vitória, Vicente Luque enfrenta Randy Brown em agosto

Buscando garantir a segunda vitória consecutiva e se aproximar da elite dos meio-médios (até 77kg.), o atleta evita cravar um resultado, mas promete um confronto agitado contra o russo.

Confronto contra Muslim

“É muito difícil achar um final certo (para a luta). Ele (Salikhov) é um trocador nato. Eu acho que essa luta tem tudo para desenrolar em cima. Ele é um cara que movimenta bem, faz um jogo dentro do padrão dele muito bem. Estou indo com tudo pronto, desde a parte em pé, de grappling e clinch o mais apurado possível. Não tem como dizer uma forma de acabar, mas, provavelmente, vai ser uma trocação frenética”, afirmou Elizeu.

Evolução como atleta

Com 28 apresentações desde que se profissionalizou no MMA, Capoeira, a cada luta, mostra evolução em seu jogo. Mesmo com uma derrota no ano passado, que interrompeu uma sequência de sete resultados positivos em sequência, o brasileiro segue como uma das promessas do país na categoria dominada por Kamaru Usman. Pensando em melhorar cada vez mais, o paranaense explica as ações para incorporar suas qualidades cada vez mais.

“Acho que o que evolui é a base, estar buscando o aprimoramento da base e ela que dá consistência para as outras coisas. É mais treinar o simples e bem treinado, desde a parte do boxe, do muay thai, a própria capoeira, o karatê, jiu-jitsu, submission… é treinar a parte básica para que isso possa evoluir. Sem uma base, você não consegue dar sequência”, explicou o meio-médio.

Contrato renovado

Aos 33 anos, além de comemorar sua presença em um dos cards mais importantes de 2020, o brasileiro está de contrato novo com a organização. Após 10 apresentações, o atleta, agora, teve seu vínculo renovado para mais quatro compromissos.

“Estou feliz demais. Conseguimos renovar e estar lutando na ‘Ilha da Luta’, não poderia ser mais gratificante do que isso”, finalizou.

Atualmente, Capoeira tem 22 vitórias e seis derrotas nas artes marciais mistas. Seu adversário de julho, Salikhov soma 16 triunfos e dois reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments