Durinho relata ‘climão’ ao encontrar Usman em academia antes do UFC 251: ’Foi estranho’

Episódio aconteceu antes de campeão dos meio-médios oficializar sua mudança de equipe; brasileiro, no entanto, afirma que abordagem entre ambos foi amistosa e fez previsão para o confronto de 11 de julho

G. Durinho (foto) relata encontro inusitado com K. Usman em academia. Foto: Reprodução/Instagram @gilbert_burns

Desafiante ao cinturão dos meio-médios (até 77kg.) do UFC, em 11 de julho, Gilbert Durinho relatou um episódio inusitado, quando se encontrou com seu próximo adversário, Kamaru Usman em uma academia, na Flórida (EUA). O episódio aconteceu antes do campeão da categoria oficializar sua mudança de equipe. Apesar de estranho, o brasileiro afirmou que clima foi amistoso entre ambos.

Veja Também

Ex-parceiro de treino de Durinho, Usman muda de academia antes do UFC 251
Cormier não esconde estratégia para derrotar Miocic em revanche: ‘Traga a sapatilha de wrestling’
Vídeo: Influenciadores russos fazem luta bizarra em topo de prédio

“Na segunda-feira (8), depois do card de Las Vegas que meu irmão (Herbert Burns) lutou, eu me encontrei com ele na academia. Ele ficou aqui naquela semana e depois foi para o Colorado (EUA) para finalizar seu treinamento. Nós conversamos e foi tranquilo. Ele disse: ‘Vamos lutar, deixar tudo no octógono e depois vamos tomar uma cerveja juntos’. Vai ser muito profissional”, afirmou Gilbert em entrevista ao ‘MMA Fighting’.

Apesar de já ter declarado publicamente que mantém uma relação amistosa com o campeão – com quem treinou junto durante anos – o brasileiro não escondeu a surpresa de encontrar com o próximo rival no ambiente de preparação para o confronto.

“Eu fiquei surpreso quando o vi, mas pensei: ‘Ele está aqui. Legal. Vamos conversar hoje’. Foi até melhor do que quando ele estava treinando lá, na verdade. Eu sabia que ele apareceria na academia, mas não sabia quando. Foi um pouco estranho, mas tranquilo”, relatou Durinho.

Por fim, Gilbert não escondeu seus planos para o desafio contra o nigeriano. O atleta espera que o confronto não vá para a decisão dos juízes e pretende encerrar a luta com um nocaute ou finalização.

“Eu vou lá para nocautear ou finalizar. Vai ser uma guerra. Eu acho que Kamaru é mais duro do que (Tyron) Woodley e Demian (Maia), minhas duas últimas lutas. Eu tive uma grande performance, mas Kamaru é uma pessoa diferente e acho que vai ser mais difícil de nocautear ou finalizar”, encerrou o brasileiro.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments