Sem se apresentar há quase um ano, Markus Maluko comemora luta neste sábado: ‘Verão uma guerra’

Após meses de expectativa e adversários trocados, brasileiro volta ao octógono contra Dricus Du Plessis, pelo UFC, em Abu Dhabi

M. Maluko (foto) enfrentará D. Du Plessis no UFC Ilha da Luta 5. Foto: Reprodução/Instagram

Depois de quase 12 meses sem subir no octógono, Markus Maluko está de volta. Neste sábado (10), o brasileiro retorna à ativa e, depois meses de expectativas e adversários trocados, trocará forças contra Dricus Du Plessis no UFC Ilha da Luta 5, em Abu Dhabi. Em entrevista ao ‘Combate’, o paulista comemorou a oportunidade e analisou o confronto contra o rival.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Quero guerra. Estou há sete meses treinando para lutar, estou na sede de lutar. Sou um cara que nasci para ser guerreiro. Meu pai já me deu o nome de Markus, e Markus significa ‘Deus da guerra’. Lá dentro, vocês verão guerra”, disse o paulista confiante.

No final de semana, o brasileiro será o responsável por dar as boas-vindas a Du Plessis no Ultimate. Mesmo se tratando de um oponente pouco conhecido pelos fãs da organização, Maluko mostrou ter estudado o adversário e garante que não será surpreendido no duelo.

PUBLICIDADE:

“Se você pegar um adversário completo, que tem tudo, eu já estava treinando para ele. Vinha treinando para um cara que era striker, depois para um grappler, e depois para um do jiu-jítsu. E agora para ele, que é completo em todas as áreas, mas não tem nada demais em nenhuma delas no final das contas (…). Ele é completo, troca em pé, tem um wrestling básico, e algumas finalizações no jiu-jítsu, mas faz de tudo um pouco e não faz tão bem. Ele vai levando a luta e isso para mim é muito bom, não gosto de cara que fica pressionando muito porque não dá espaço para você pensar, e ele é um cara que dá espaço. Vou ter espaço para fazer o meu jogo e colocar em prática, e trazer para a gente um nocaute ou finalização da noite”, explicou.

Empolgado com o confronto, Markus sabe que precisa vencer para conseguir um equilíbrio dentro da companhia. Até o momento, o brasileiro disputou cinco combates com as luvas do Ultimate, vencendo duas e perdendo em três compromissos. Sua última atuação aconteceu em novembro do ano passado, quando acabou superado pelo compatriota Wellington Turman, no UFC São Paulo.

PUBLICIDADE:

Podcast #45: Volkanovksi sem desafiante e brasileiros no 1º UFC do ano



Comentários

Deixe um comentário