Borrachinha analisa derrota de McGregor no UFC 257 e sai em defesa do irlandês | SUPER LUTAS

Borrachinha analisa derrota de McGregor no UFC 257 e sai em defesa do irlandês

Mineiro analisa atuação do do ‘Notório’, que foi duramente batido por Dustin Poirier no card do último final de semana

P. Borrachinha (foto) saiu em defesa de C. McGregor após derrota do irlandês no UFC 257. Foto: Reprodução/Instagram

Promessa do peso médio (até 83,9kg.) do Ultimate, Paulo Borrachinha saiu em defesa de Conor McGregor após a dura derrota do irlandês no UFC 257. Em seu canal no ‘YouTube’, o mineiro analisou o confronto do ‘Notório’ contra Dustin Poirier e encontrou pontos positivos na performance do ex-campeão. O brasileiro, no entanto, relacionou o império financeiro construído por McGregor com sua atuação dentro do octógono.

Veja Também

“Muita gente vai esquecer de dizer o quão bom é o McGregor, o quão diferenciado ele é. Vão esquecer que no primeiro round, o Poirier foi ‘cozinhado’, assado e frito pelo Conor McGregor, quase nocauteado. McGregor está anos luz à frente de Poirier. É notável a superioridade técnica”, disse o brasileiro.

Borrachinha, no entanto, avaliou o segundo assalto de forma diferente. Observando o confronto até o momento que culminou na derrota do irlandês, o brasileiro falou sobre o senso de urgência de Poirier, que perdia o confronto, mas conseguiu reverter a situação de maneira histórica.

“No segundo round, porém, Poirier mostrou senso de urgência, mostrou que tem coração. Conor não mostrou senso de urgência, a vontade de vencer, a garra, o sangue nos olhos”, contou Paulo.

Neste momento, Borrachinha tocou em um ponto importante para se analisar McGregor enquanto atleta na atualidade. O irlandês, hoje, é o lutador que mais lucrou na história do MMA, com uma marca difícil de ser alcançada. Para o mineiro, a fortuna de Conor acaba tornando inevitável a queda de rendimento.

“Imagina você ter mais ou menos R$1,5 bilhões na sua casa. Ter, também, garantido, ‘pingando’, na sua conta entre US$350 e 450 mil por mês. Ser o maior lutador e maior estrela do MMA mundial de todos os tempos e, ainda assim, se dedicar 7 a 8h por dia. Ainda chegar no evento e lutar com um cara que você já nocateou e venceu. Você teria foco para isso?”, questionou o brasileiro. (…) É compreensível. Ele está mega milionário, mais rico que o Dana White. Se vocês não sabem, o Dana ganha mais de U$ 70 milhões por ano só do UFC.

Borrachinha, então, tentou solucionar o que muitos passarão a questionar a partir do UFC 257: Conor terá a motivação necessária para voltar ao que já foi?.

“Conor ganha mais que isso só do UFC, além de todas as outras coisas. É muito dinheiro. É difícil você ter esse senso de urgência. Acho que o Conor não tem mais essa raça, essa vontade. Ele precisa de um desafio muito grande, acho que apenas o Khabib (Nurmagomedov) o faça voltar com dedicação. Ele tem treinado bem, foi superior ao Dustin no primeiro round e seria no segundo, se não fosse o coração do Dustin e a vontade dele de ganhar que foi muito maior”, finalizou.

O revés para Poirier marcou o primeiro nocaute sofrido por Conor desde sua estreia no MMA. O atleta, agora, soma cinco resultados negativos em 22 compromissos.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments