Bonnar admite doping em luta contra Spider, mas fala em ‘uso terapêutico’

Ex-lutador admitiu o uso de Drostanolona em entrevista ao podcast 'The MMA Hour'

S. Bonnar (dir.) falou pela primeira vez após o doping no UFC Rio 3. Foto: Josh Hedges/UFC

S. Bonnar (dir.) falou pela primeira vez após o doping no UFC Rio 3. Foto: Josh Hedges/UFC

O ex-lutador Stephan Bonnar comentou pela primeira vez o caso de doping no qual esteve envolvido em sua última luta, contra o brasileiro Anderson Silva no UFC Rio 3, em outubro do ano passado. Em entrevista ao podcast The MMA Hour, nesta segunda-feira (11), Bonnar admitiu o uso do anabolizante Drostanolona, mas afirmou que nunca teve a intenção de trapacear no combate contra o Spider.

Em sua fala, o “Psicopata Americano” alegou que não sabia da luta contra Anderson quando fez o uso, voluntário, da substância. O vice-campeão do TUF 1 revelou que não acreditava que faria outro combate pelo UFC e que acabaria por encerrar sua carreira. Após sua segunda cirurgia no joelho, Bonnar fez uso  Drostanolona para, segundo relatou, auxiliá-lo a retomar a força para treinar com os amigos.

“Acredite ou não, há alguns usos terapêuticos para algumas das substâncias proibidas. O ponto é que eu queria recuperar minha força. Eu estava muito fraco. Meu corpo não se sentia bem, minhas articulações não estavam bem. Esse era meu objetivo”, justificou.

Stephan Bonnar alegou ainda que conversou com médicos ao saber da luta contra Anderson Silva no Brasil e foi informado que a substância teria saído completamente do seu organismo até a data do confronto. O que, como visto, não aconteceu. Mesmo assim, o ex-atleta negou má fé.

“Não sou idiota. É claro que sei que serei testado. Eu tenho três semanas para treinar para a luta, 15,9kg para perder, e você realmente acha que depois disso vou tomar algo que é detectável por um mês? Isso não faz sentido nenhum”, finalizou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário