Anderson Silva desabafa sobre transição do MMA para o boxe: 'Tive muita dificuldade' | SUPER LUTAS

Anderson Silva desabafa sobre transição do MMA para o boxe: ‘Tive muita dificuldade’

Vivendo novo momento na ‘nobre arte’, lenda das artes marciais mistas abre o jogo sobre a adaptação para o novo esporte

A. Silva é considerado um dos maiores nomes na história do MMA. Foto: Reprodução/Instagram

Lenda do MMA, Anderson Silva vive um novo momento em sua carreira. Após sua grande vitória sobre o ex-campeão de boxe, Julio César Chávez Jr., em junho, nas regras da ‘nobre arte’, o brasileiro falou sobre o processo de adaptação das artes marciais mistas para o pugilismo. Em conversa com seu treinador, Luiz Dórea, ‘Spider’ admitiu dificuldades na transição entre as modalidades.

Veja Também

“Muita gente fala: ‘o boxe é fácil. Não vale cotovelada, joelhada’. A diferença do boxe, apesar de eu já ter tido a oportunidade de ter treinado com o senhor na Bahia, de ter lutado boxe, de estar sempre treinando, é a movimentação e as combinações que você tem que colocar no meio da luta. Eu lembro bastante (das dicas): ‘puxa na perna de trás. Eu não entendia. Você se confunde. Se eu puxar com a perna de trás, o cara vai me entrar em uma baiana. Você começa a entender que o boxe não é uma coisa simples. Não é complexo, mas não é uma coisa simples. É uma didática diferenciada”, disse o ex-campeão do UFC.

Seguindo o pensamento, Anderson seguiu analisando a diferença entre as artes marciais mistas e o boxe, como esportes isolados. Para a lenda das artes marciais mistas, na ‘nobre arte’, é necessário ter raciocínio rápido, assumindo uma estratégia em um duelo onde um erro pode ser fatal.

“Não há esporte de combate mais fácil que o outro, mas, no MMA, você pode segurar um pouquinho, agarrar o cara, dar uma ‘cinturada’. Muitas vezes, você está sentindo alguma coisa e faz uma guarda e consegue se defender. No boxe, é muita inteligência, raciocínio rápido e muito movimento de perna. Passo diagonal, plano. Qualquer movimento desses que fizer errado, coloca toda a sua vida em risco, todo o treinamento que você fez, que você pode tomar uma mão e cair. Para mim, a diferença que eu senti para essa luta (contra Chávez Jr.) foi a movimentação e o raciocínio lógico do boxe, que exige muito de você pensar. Ao contrário do que as pessoas pensam, é tudo muito científico, matematicamente estudado. Então, eu tive muita dificuldade. Graças a Deus, deu tudo certo”, encerrou.

Sem interesse de retornar ao MMA, Silva foi notícia no início da semana sobre um possível novo compromisso na ‘nobre arte’. O brasileiro pode retornar aos ringues em um duelo contra o youtuber Logan Paul, que tem feito sucesso em superlutas na modalidade.

Podcast #30: Aquecimento para o UFC 266 com duas disputas de cinturão e migué de Romero no Bellator

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments