Alistair Overeem lamenta não ter conquistado cinturão do UFC e indica que aposentadoria está próxima

Agora no Glory, atleta diz que pode lutar apenas mais um ano antes de ‘pendurar as luvas’ nos esportes de combate

A. Overeem está de volta ao kickboxing. Foto: Reprodução/Instagramre

A trajetória do peso pesado (até 120,2kg.) Alistair Overeem nos esportes de combate está próxima do fim. Em entrevista ao site norte-americano ‘MMA Junkie’, o atleta – que retornou ao Glory – revelou que deve ter apenas mais um ano de carreira e pensa em sua aposentadoria frequentemente.

Veja Também

“Acredito que minha idade seja meio limitada e sou realista sobre isso. Meu fim está chegando. Será meu último ano e acabou. Um ano, um ano e meio. Temos que ser realistas. Você não pode se esquecer que eu tenho 41 anos e estou ficando mais velho”, confessou Overeem.

Em sua trajetória nos esportes de combate, Alistair é reconhecido como um dos principais nomes da história, tendo conquistado os títulos de Dream, K-1 e Strikeforce. Ele, no entanto, lamenta que não tenha conseguido o mesmo feito no UFC.

“Eu gostaria de terminar minha carreira no UFC, mas não dependia apenas de mim. Eu me diverti muito lá, mas talvez seja a hora de uma nova geração aparecer. Só faltou o cinturão do UFC em minha parede e eu estive muito próximo de concretizar. Se eu pudesse mudar algo (na trajetória), seria isso”, concluiu o atleta.

Enquanto atleta do Ultimate, o ‘Demolidor’ esteve perto de concretizar o objetivo, quando teve a chance de encarar o campeão da divisão na ocasião, Stipe Miocic. No combate, ele começou bem e por pouco não nocauteou, mas acabou cansando, sofreu uma reviravolta e foi derrotado ainda no primeiro round.

Depois que teve seu contrato encerrado com a organização, Alistair Overeem decidiu por ‘voltar às origens’ e assinou com o Glory. Logo em seu primeiro combate, ele vai disputar o título dos pesados contra Rico Verhoeven, no dia 23 de outubro.

Podcast #034: A volta de Borrachinha ao UFC e a possível aposentadoria de Fedor