Da frustração do TUF ao sonho do UFC, Buscapé mira vitória e pesos leves

Lutador encara o compatriota Ildemar Marajó no TUF Brasil 2 Finale, no próximo sábado (08), em Fortaleza

Buscape (esq.) ao lado do técnico Diêgo Lima, F. Sertanejo e E. Silva

Buscape (esq.) ao lado do técnico Diêgo Lima, F. Sertanejo e E. Silva. Foto: Divulgação

O anúncio da segunda temporada do The Ultimate Fighter Brasil colocou um sonho e uma meta na cabeça dos lutadores da divisão de meio-médios do país, mas nem todos conseguiram entrar na casa e disputar um contrato com o UFC. Para Leandro Buscapé, entretanto, a frustração pela derrota para David Vieira na seletiva demorou poucos meses para se transformar numa alegria que a maioria dos que participaram do reality show não devem ter. Em meados do mês de abril, ele foi contratado pelo Ultimate.

Na noite do dia 24, o lutador do Corinthians seguia sua rotina de treinos e aulas quando recebeu uma ligação de seu treinador, Diego Lima, com duas notícias: uma ruim e uma boa.

“Eu pedi para saber a notícia ruim antes, porque já estava acostumado a receber notícias ruins na vida”, lembra Leandro Buscapé. “Então o mestre me disse que a luta contra o Eduardo Pamplona (pelo Max Sport, em maio) havia caído. Eu fiquei super triste, mas depois ele falou que eu tinha sido contratado pelo UFC e isso me deixou muito feliz, contei para os alunos e todos ficaram muito felizes também. Na seletiva não fui bem, todos viram o que aconteceu, mas não me desmotivei. Depois disso venci um cara duro, ex-UFC, que é o Chris Wilson, e segui meu caminho de forma correta”.

A contratação pelo UFC era para enfrentar o compatriota Ildemar Marajó no TUF Brasil 2 Finale, no próximo sábado (08), em Fortaleza. Os treinos, que já estavam intensos continuaram, mas com a motivação extra de ser o terceiro atleta da Chute Boxe Diego Lima a ser contratado pelo maior evento de MMA do planeta. No mesmo dia estará em ação o amigo e companheiro de treinos Felipe Sertanejo, que enfrenta Godofredo Pepey, algo que motiva muito Buscapé, apontando o camp repleto de lutadores em atividade no alto nível do MMA mundial como diferencial para a luta deste sábado.

“Já estava treinando forte e duro para lutar contra o Pamplona, que é uma pedreira, e só mudamos um pouco a estratégia porque o Ildemar é maior e tem habilidades diferentes. Nossos treios são muito fortes, temos muitos casca-grossa treinando. Só esse ano fiz duas lutas duras, e ver a galera toda lutando dá mais inspiração para continuar. Estou muito confiante, amarradão, relaxadão, e tenho certeza que vou fazer uma boa luta. Não prometo a vitória, mas sim meu máximo e o melhor que puder para vencer”, afirma.

Apesar de ter sido contratado para lutar na categoria até 77kg, Leandro Buscapé vê com bons olhos a possibilidade de descer para o peso leve (até 70 kg.). Mas ele sabe que, para isso, é preciso impressionar entre os meio-médios, já que a categoria abaixo dessa está repleta de grandes lutadores.

“Eu peso normalmente 81kg, então não tenho problema nenhum para cortar peso e lutar até 77kg. Lutei minha última fora do UFC no peso leve, mas nesse momento preciso me concentrar em vencer e ir bem nos meio-médios. É nessa categoria que o UFC me contratou, e se fizeram isso é porque tenho qualidade para estar nela. Mas posso lutar em qualquer uma das duas”, finaliza Buscapé.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário